Áudio com suposta médica indicando surto de H1N1 na Paraíba é fake; ouça

Circula nas redes sociais áudio de uma suposta pneumologista difundindo a informação de que a Paraíba estaria vivenciando um surto da gripe H1N1. Ela chega a afirmar, inclusive, que os testes dos três óbitos registrados até agora no Estado por conta do coronavírus, teriam dado positivo para o H1N1.

“Meus amigos, eu tenho uma notícia agora de última mão (sic)… Que os testes dos três óbitos aqui de João Pessoa que tiveram, inclusive de uma pessoa jovem de 29 anos, deram negativo para o Covid-19 e positivo para o H1N1. Na realidade nós estamos com um surto de H1N1”, diz a suposta pneumologista.

“Inclusive, também, acabei de saber que o de Recife que faleceu, também, deu positivo para H1N1. É uma virada pra nós aqui, porque nós temos que vacinar em grande escala… H1N1, um surto grande Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco”, acrescenta.

Ouça o áudio abaixo

Na manhã desta quarta-feira (25), a reportagem do Paraíba Já procurou a Secretária Estadual de Saúde para checar a veracidade das informações contidas no áudio. De pronto, a SES desmentiu o boato e lembrou que a divulgação de fake news contraria a lei.

“Esta informação é inverídica. Uma vez que foi testado no Lacen-PB (Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba) para Covid-19, ainda aguardando o resultado para outros vírus respiratórios. A investigação de um óbito pela vigilância epidemiológica dura até 60 dias”, revelou a Secretaria de Saúde, através da assessoria de imprensa.

“Importante lembrar que a divulgação de fake news atenta contra a legislação. Para denunciar a prática de fake news na Paraíba basta ligar para o Disque-Denúncia da Polícia Civil (197) ou registrar um B.O sem sair de casa, pela Delegacia on-line, no seguinte endereço: www.delegaciaonline.pb.gov.br”, acrescenta o órgão.

O que é o H1N1

O H1N1 ficou famoso há uma década, quando uma epidemia desse subtipo do vírus da gripe provocou 2 mil mortes no Brasil. Em 2018, ele foi responsável por 65% dos óbitos decorrentes dessa doença. O H1N1 causa os mesmos sintomas das outras versões do vírus influenza: febre alta, mal-estar, dor de cabeça, espirros e tosse. A diferença estaria no risco de complicações.

O H1N1 integra o time dos vírus influenza tipo A, do qual o H3N2 também faz parte. Esse agente infeccioso, aliás, parece ser mais perigoso para os idosos.

A outra família de influenza, do tipo B, geralmente se manifesta de maneira mais branda, segundo Hélio Bacha, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Os especialistas alertam, porém, que as diferenças de agressividade entre os subtipos da gripe são tênues, até porque dependem das constantes mutações que esses vírus sofrem. Em resumo, todos preocupam.

Comente