Ator paraibano, Ednaldo Lucena, morre aos 82 anos no Rio de Janeiro

O ator paraibano Ednaldo Lucena, que integra o elenco da ‘Paixão de Cristo de Nova Jerusalém’ há mais de 50 anos, morreu na tarde da terça-feira (10) devido às complicações da doença de Alzheimer. Aos 82 anos, Lucena residia em Niterói, no Rio de Janeiro. O sepultamento aconteceu na tarde desta quarta-feira (11) no Rio de Janeiro.

Nascido na Paraíba, o ator foi muito cedo morar em Recife, onde iniciou sua carreira no teatro ainda nos anos de 1950. O ator participou do espetáculo inaugural da cidade teatro de Nova Jerusalém, em 1968, vivendo o personagem Caifás. Entre 1971 e 1977, interpretou Herodes e começou a também viver Judas, papel que desempenhou até 1998.

Transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde teve algumas participações em novelas e séries da TV Globo e foi dublador de filmes e séries para a tevê. No ano de 2000, atuou nos espetáculos de ‘Noite Feliz, o Nascimento de Jesus’ em Nova Jerusalém e, também, em 2004 na temporada dessa peça no Santuário Nacional de Aparecida (SP).

Em 2009 voltou a atuar na ‘Paixão de Cristo de Nova Jerusalém’, dessa vez vivendo o personagem Anás, assim permanecendo até a temporada cinquentenária da Paixão, em 2017. Nos dois anos mais recentes da ‘Paixão’ (2018 e 2019) passou a interpretar o papel do Príncipe I, que foi o seu último personagem nos palcos do Brasil.

Para Robinson Pacheco, coordenador-geral da ‘Paixão de Cristo de Nova Jerusalém’, Ednaldo Lucena foi um dos grandes atores que marcaram sua passagem pela ‘Paixão de Cristo’ com atuações magistrais que muito contribuíram para o sucesso da Nova Jerusalém.

Na opinião de Carlos Reis, um dos diretores artísticos do espetáculo e amigo de Lucena desde a década de 1950, a sua morte representa uma grande perda para o teatro de Pernambuco e do Brasil. “Lamentamos a perda de um grande amigo, de trato suave e meigo e de prazerosa convivência”.

Comente