Apple Card, cartão de crédito sem anuidade, pode ser lançado em agosto

O Apple Card, novo serviço de cartão de crédito sem anuidade da Apple, deve chegar ao mercado dentro de poucos dias. Segundo uma publicação da Bloomberg desta sexta-feira (26), o cartão da Apple em parceria com o banco americano Goldman Sachs será lançado até meados de agosto. A novidade foi anunciada em março, durante evento de apresentação do serviço de streaming Apple TV+. A empresa não confirmou a data de lançamento.

O serviço poderá ser solicitado, por enquanto, apenas nos Estados Unidos. O usuário poderá fazer o pedido por meio do aplicativo Wallet, disponível para iPhone – o iOS 12.4, lançado nesta semana com nova função de migração de dados, já traria o suporte necessário. Não há previsão de chegada do Apple Card ao Brasil.

Como funciona o Apple Card

O cartão poderá ser usado para realizar pagamentos em estabelecimentos virtuais e físicos. Compras com o cartão virtual em lojas, aplicativos ou sites de todo o mundo renderão 2% de cashback, com saldo atualizado diariamente no app. Ao usar o cartão físico de titânio com bandeira Mastercard, a devolução será de 1%. Já aquisições na loja da Apple renderão 3% de dinheiro de volta.

O Apple Card não terá taxas de anuidade, de atraso de pagamento ou “estouro” de limite. Os juros serão cobrados apenas se o usuário pagar um valor menor que o total da fatura. Para facilitar o cálculo, o Wallet mostrará uma estimativa dos encargos proporcionais que serão pagos, de acordo com o valor do pagamento.

Por meio do aplicativo, o Apple Card também exibirá sugestões de pagamentos “inteligentes”, que ajudarão a quitar a dívida mais rapidamente, pagando menos juros. O cartão terá uma única data de vencimento universal, o último dia do mês, mas será possível agendar pagamentos semanais e ativar lembretes. O app também permitirá ver relatórios detalhados.

De acordo com fontes ouvidas pela Bloomberg, o projeto demorou para decolar por conta de divergências entre a Apple e o Goldman Sachs. Enquanto a empresa da maçã ficou a cargo de projetar o cartão e desenvolver a interface de software, o banco ficou com a infraestrutura financeira, gerenciando problemas com pagamentos, dados de transação e agrupando informações para extratos mensais. Com informações do Bloomberg e TechTudo.

Comente