Após três anos de cenário de guerra, prefeito Cartaxo inaugura Praça 1817

0
Após três anos de cenário de guerra, prefeito Cartaxo inaugura Praça 1817
Essa é a Praça 1817 e este cenário se perpetuou por quase três anos.

A revitalização da Praça 1817, entregue na manhã de hoje, faz parte do amplo pacote de intervenções no Centro Histórico realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa. Na ocasião, também aconteceu o lançamento do edital para o financiamento de reforma e recuperação de imóveis privados localizados nas áreas de tombamento.

Durante a entrega da praça, o prefeito Luciano Cartaxo destacou que a obra representa o compromisso da gestão com o Centro Histórico. “Foi aqui que a cidade nasceu, onde surgiu nossa origem. Essa praça tem uma simbologia forte para a cidade e passou décadas abandonada. Agora estamos devolvendo à população um espaço de convivência e humanização”, disse.

Ele completou ressaltando as intervenções realizadas em outras áreas do Centro Histórico como a revitalização da Praça João Pessoa, Casa da Pólvora, a Praça da Pedra, a Praça da Independência, que hoje é um ponto de encontro para família. Até agosto, acontecerá ainda a entrega da revitalização da Galeria Augusto dos Anjos, o novo Parque da Lagoa e a requalificação da Avenida Getúlio Vargas, além da revitalização do Hotel Globo. “Nosso objetivo é transformar o Centro Histórico em um pólo turístico e econômico muito forte”, afirmou Cartaxo.

O aposentado Itamar Martins, 67 anos, tem saudosa lembrança da Praça 1817. “Na minha juventude, eu e meus amigos nos reuníamos aqui depois da escola para conversar e paquerar as mocinhas que passavam pela praça. Fiquei muito feliz com essa revitalização, pois me trouxe uma lembrança de um tempo muito bom”, contou emocionado.

No local foi feita a troca do piso contendo sinalização tátil para auxiliar pessoas cegas, construção de nova escadaria, rampas de acessibilidade, novos bancos, jardim e iluminação. Na lateral da praça, que fica na Rua Rodrigues de Aquino, foi feita a redefinição do traçado para estacionamento de veículos. Já na parte superior, da Rua Visconde de Pelotas, o ponto de táxi permanece.

Praça 1817 – A revitalização da praça integra a lista das 50 obras a serem entregues até o mês de aniversário da cidade, em agosto. A Praça 1817 tem grande valor histórico, pois ocupa o espaço onde ficava o antigo pátio da Igreja das Mercês. O local foi rebatizado em 1917 para marcar o centenário da Revolução de 1817, conhecida como Revolução Pernambucana, que contou com participação de paraibanos. A revolução resultou na destituição do governo partidário português e na proclamação da República.

O equipamento público fica entre as ruas Rodrigues de Aquino e Visconde de Pelotas, e está dividia em dois níveis: inferior e superior. O trecho é um dos principais pontos de referência do Centro da cidade, por onde passam milhares de pessoas todos os dias.

Edital – Ainda durante a solenidade, foi lançado o edital para o Financiamento de Reforma e Recuperação de Imóveis Privados do Centro Histórico, que é uma parceria da Prefeitura com o Ministério da Cultura. Com juros zero e seis meses de carência após a conclusão da obra, essa é a oportunidade para quem sonhava em reformar a sua residência.

 

O benefício não é destinado para aquisição ou reforma de prédios novos, ele atende apenas reforma de imóveis que estejam em área de tombamento federal ou no entorno. O investimento é de R$ 600 mil, com prazo de financiamento é de até 15 anos.

O prefeito Luciano Cartaxo ressaltou que esse edital também faz parte do compromisso com a região do Centro. “Ao mesmo tempo em que a prefeitura consegue recuperar os prédios e praças públicas históricas de João pessoa, também está dando a oportunidade para o cidadão realizar reformas em suas casas com juros zero. Quem ganha com isso é a cidade e a população”, disse.

A recuperação busca a adequação de imóveis de diversos usos ao seu propósito, resguardando, ao mesmo tempo, a integridade e seus valores culturais. Os interessados terão um prazo de 30 dias para apresentar a proposta. A Prefeitura e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) analisarão o projeto arquitetônico, o cronograma e o orçamento da obra.

O financiamento pode ser solicitado tanto por pessoas físicas quanto jurídicas e podem incluir desde a recuperação de fachadas e coberturas, até a melhoria da estrutura, projetos de restauração, instalações elétricas e hidrosanitarias. Quem tiver renda mensal inferior a três salários mínimos poderá receber um adiantamento de 25% do orçamento total para cobrir os gastos do início do serviço. O valor das parcelas do financiamento não pode ultrapassar 20% da renda bruta familiar do proponente. Os custos das análises realizadas pelo banco serão pagos pelo IPHAN.

Comente

Antares

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here