Após ser afastado, prefeito comete crime contra saúde pública, na PB

Gestor foi preso na última sexta-feira (14), durante a operação Rent a Car, realizada pelo Gaeco e solto após pagar quase R$ 14 de fiança

O prefeito afastado de Camalaú, Alecsandro Bezerra dos Santos (PSDB), mais conhecido como Sandro Moco, após ser solto da prisão, desrespeitou os decretos estaduais e promoveu aglomeração no município junto com apoiadores onde um deles, aparentemente, portava uma arma.

O gestor foi preso na última sexta-feira (14), durante a operação Rent a Car, realizada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB) e solto após pagar no valor de R$ 13.900,00 de fiança.

Um dos apoiadores que aparece em uma imagem próximo ao gestor, aparentemente porta uma arma de fogo, enquanto está em cima de um carro, onde diversas pessoas se aglomeram ao lado do prefeito afastado.

Desrespeitando as determinações dos órgãos competentes de saúde, quanto ao distanciamento e ao isolamento social, devido a pandemia do novo coronavírus, de acoerdo com informações o gestor foi acompanhada pelo agora prefeito interino, Ezequiel Sóstenes, secretários municipais, vereadores da situação, pré-candidatos a vereadores e por fiscais e os coordenadores da Vigilância Sanitária do município.

O prefeito foi afastado do cargo na Operação Rent a Car, que apura fraudes em licitações, desvios de recursos públicos e falsidade documental. MPPB, o prejuízo causado pelo esquema investigado é superior a R$ 314 mil.

Comente