Após ganhar na Justiça, reitor decide se matricular em curso na da UFPB

Valdiney foi classificado pelo sistema de cotas do Sisu como ingressante de escola pública e fez 638,9 pontos no Enem

O reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Valdiney Gouveia, após ter sido liberado pela Justiça, garantiu, nesta quarta-feira (20), que irá se matricular na instituição para cursar engenharia de produção. O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB) havia ajuizado uma ação civil pública contra a UFPB e o reitor, para que o gestor fosse excluído da lista de candidatos aprovados por cota no curso, porém o pedido foi negado.

“Nós jamais iríamos pleitear uma coisa que estivesse longe do que o ato normativo, então, estava dentro do que é previsto e se havia dúvida por parte do Ministério Público, órgão competente, que respeitamos, mas seguimos nosso propósito que é sempre cada dia mais avançar, aprender, construir e poder fazer melhor”, disse.

Valdiney foi classificado pelo sistema de cotas do Sisu como ingressante de escola pública e fez 638,9 pontos no Enem.

Para a procuradora que ajuizou a ação, houve mau uso do sistema de cotas, que tem o objetivo de “facilitar o acesso ao ensino superior de pessoas que, em decorrência de suas condições sócio-econômicas, egressos de escolas públicas, teriam presumida dificuldade de concorrer em igualdade com os demais concluintes do 2º grau.”

Estudante perdeu vaga para reitor

Erick Rangel, de 17 anos, estudante de escola pública, se inscreveu no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o curso de engenharia de produção na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), porém ficou na lista de espera por uma vaga. O curso escolhido pelo estudante, é o mesmo que o de Valdiney, caso o reitor não tivesse se inscrito no sistema de cotas, a vaga poderia ser do Erick.