Após 10 fiscalizações, CRM-PB interdita Trauminha de JP a partir deste sábado

Conforme presidente do órgão, entre os motivos estão problemas estruturais, portas de banheiros e enfermarias quebradas, falta de higiene e infestação de insetos

O Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio Burity – Ortotrauma (Trauminha), em João Pessoa, será interditado a partir deste sábado (29), após diversas fiscalizações do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) encontrarem irregularidades na unidade hospitalar.

O presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais realizou uma transmissão ao vivo nesta sexta para tratar dos motivos que levaram à interdição. Conforme ele, entre os motivos estão problemas estruturais, portas de banheiros e enfermarias quebradas, falta de higiene e infestação de insetos. Assista o vídeo abaixo:

“Em quatro anos fizemos dez fiscalizações. As irregularidades não foram sanadas, ele continua em péssimas condições, diria até que piorou muito, e a razão para interditar é justamente essa. Essas irregularidades tem um potencial de risco alto para os médicos e para quem procura o serviço”, afirmou o presidente.

O que diz a Secretaria de Saúde de João Pessoa

Em nota, a Secretaria de Saúde de João Pessoa afirmou que não recebeu oficialmente a notificação do CRM-PB e que o último relatório do órgão, realizado no dia 25 de agosto, está sendo atendido dentro do prazo definido pelo Conselho.

“Por fim, a SMS reforça que essa interdição implica em grande perda para a população, que fica impedida de receber atendimento em todas as especialidades médicas que atendem no Complexo Hospitalar de Mangabeira”, destaca trecho da nota.

Leia na íntegra:

NOTA

Sobre a interdição ética dos médicos que atuam no Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma) pelo Conselho Regional de Medicina (CRM):

1. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a direção do Complexo Hospitalar não receberam oficialmente a notificação de interdição;

2. O relatório recebido da visita realizada pelo CRM no dia 25/08 está sendo respondido dentro do prazo definido pelo Conselho, inclusive a escala médica do mês solicitada foi entregue à instituição na última quinta-feira (27). As demais questões tratadas no relatório também já estão sendo respondidas, cumprindo os prazos definidos;

3. Por fim, a SMS reforça que essa interdição implica em grande perda para a população, que fica impedida de receber atendimento em todas as especialidades médicas que atendem no Complexo Hospitalar de Mangabeira. Ou seja, ficarão desassistidos todos que busquem o serviço como, pacientes vítimas de acidentes de trânsito, em parada cardíaca, com transtornos psiquiátricos, pacientes de UTIs e outros.

4. O hospital é referência no Estado da Paraíba em cirurgia de urgência e emergência de áreas abaixo do cotovelo e abaixo do joelho, conforme pactuação firmada com o Ministério da Saúde, atendendo pacientes de João Pessoa e da primeira macrorregião do estado. Neste ano, já foram realizados 46.886 atendimentos e mais de 3.700 cirurgias.

Comente