Sapé: coveiro grava vídeo fumando maconha e é detido pela PM

Um coveiro foi detido pela Polícia Militar e encaminhado para delegacia após um vídeo em que ele aparece fumando um cigarro aparentemente de maconha e passando recado para amigos com um pote de vidro com a mesma substância na cidade de Sapé, a 42 km de João Pessoa. O homem detido, identificado como João Alves de Lima Filho, 41 anos, gravou um segundo vídeo, ao lado do major Sidnei Paiva, da Polícia Militar, pedindo desculpas pelo ocorrido.

De acordo com major Sidnei Paiva, da Polícia Militar, o vídeo em que João Alves de Lima Filho, conhecido como João Coveiro, começou a circular entre os moradores da cidade de Sapé. Logo após tomar conhecimento, a Polícia Militar começou a fazer buscas pelo homem que aparecia no vídeo.

No vídeo que circulou na internet, João “Coveiro” manda um recado para amigos e mostra o cigarro feito com maconha. “Aí mano patinete, mano ricardo, olha. Aqui é nós, é Paraíba, é Sapé, é Brasil”, diz João Alves no vídeo enquanto mostra o pote de vidro com uma substância que aparentemente é maconha e toca uma música de reggae ao fundo.

Alguns dias depois, o mesmo homem, visivelmente constrangido, grava um vídeo ao lado do major Sidnei da Polícia Militar, pedindo desculpas às pessoas que se sentiram ofendidas. “Infelizmente esse vídeo foi feito em uma brincadeira quase um mês atrás. Só que o indivíduo dono do celular, por ironia do destino, perdeu esse celular. Creio eu que alguém achou, e essa pessoa que achou talvez usou de má fé e eu estou aqui a me explicar a toda sociedade sapeense”, comentou.

João Alves completa sua declaração ao lado do policial militar “pedindo desculpas aos que não gostaram e também aqueles que se sentiram ofendidos”. No vídeo, o major Sidnei também fala e relata que o vídeo soou como convite às demais pessoas irem à cidade de Sapé para consumir drogas ilícitas.

Após ser detido, João “Coveiro” foi encaminhado para delegacia da cidade e ouvido pelo delegado titular de Sapé. Fred Magalhães, delegado de Sapé que ouviu João Alves de Lima Filho, explicou foi registrado o depoimento do homem detido e ele assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que é destinado aos crimes de menor gravidade.

João Alves foi liberado e vai responder por apologia ao consumo de drogas ilícitas em liberdade. A princípio, nenhuma substância ilícita foi apreendida com o homem detido. As informações são do G1.

Comente