Apoio a isolamento social amplo cai 8 pontos desde início do mês, aponta Datafolha

O apoio ao isolamento social amplo, medida recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conter a disseminação do coronavírus,caiu 8 pontos percentuais no Brasil desde o início do mês, de acordo com dados de pesquisa do Datafolha divulgados nesta quarta-feira (29) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Segundo a publicação, pela primeira vez foi registrado empate técnico entre os que defendem o isolamento para toda a população e os que advogam para que apenas os integrantes do grupo de risco da Covid-19, doença respiratória provocada pelo coronavírus, fiquem em casa. O grupo de risco é composto por idosos e pessoas portadoras de comorbidades, como hipertensão, diabetes e cardiopatia.

De acordo com o jornal, os defensores do isolamento social amplo foram 60% no início do mês, passou para 56% no dia 17 de abril e agora são 52%.

Já os que defendem o isolamento dos integrantes do grupo de risco foram 37% no início do mês, subiram para 41% no dia 17 e agora somam 46% no levantamento realizado na segunda-feira.

O Datafolha ouviu 1.503 pessoas por telefone na segunda-feira e a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, o que coloca no limite do empate técnico os grupos que defendem o amplo e o distanciamento sistema isordenado.

Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta terça-feira, o Brasil registrou 474 mortes por novo coronavírus em 24 horas, um novo recorde diário, e ultrapassou a marca de 5 mil acessadas no total em decorrência de Covid-19.

Autoridades de saúde defendem o isolamento social como ferramenta fundamental para frear a velocidade de propagação do vírus e dar tempo para o sistema de saúde se preparar para ter condições de atender os doentes, especialmente com leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs).

Do UOL.

Comente