Ouça: RC celebra fim do racionamento e revela dívida da PMCG com a Cagepa

Governador diz que gestão de Romero Rodrigues deve mais de R$ 200 milhões ao órgão estadual

O governador Ricardo Coutinho (PSB) não poupou críticas à oposição durante discurso feito, neste domingo (27), no ato público ‘Por Água e Democracia’, realizado no Parque Bodocongó, em Campina Grande, com a participação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Ouça acima o discuso feito por Ricardo.

Leia também

Em CG, João agradece a Lula pelo fim do racionamento e critica postura da oposição; ouça

Ele lembrou que o Governo do Estado teve que enfrentar uma batalha judicial para acabar com o racionamento de água de Campina Grande e de mais 18 localidades da região.

“Para eles não tem racionamento, para eles tem caixa d´água com 20 mil litros; para eles tem cisterna de 50 mil litros, para eles não tem tonel dentro do banheiro, servindo para tomar banho e ao mesmo tempo para cozinhar. Eles não querem ver isso, eles querem ver sempre o povo precisando de algo, do básico”, ressaltou Ricardo, lembrando que o Estado venceu a demanda judicial com informações técnicas.

Mesmo sem citar o nome do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), o governador disse que na Paraíba existem políticos sanguessugas, mas que a população sabe quem está do lado dela e que não espera mais “tapinha nas costas, beijinho no rosto, e promessas falsas”.

Críticas a Romero

Ainda em seu discurso, Ricardo criticou o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), revelou a gestão do tucano possui uma dívida milionária com a Companha de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa).

“O povo paga e a prefeitura não paga, deve mais de R$ 200 milhões, e aí é fácil dizer que a Cagepa não funciona, quando ele não paga. Eles querem manter o racionamento para privatizar a concessão da água”, denunciou Ricardo.

O governador também aproveitou para externar seu estranhamento quanto a posição de Romero ao fim do racionamento de água em Campina Grande.

“Nunca vi alguém dizer que é a favor de racionamento, como o prefeito de Campina Grande disse. Ele andou dizendo não gostou da forma, ele queria que a Cagepa fosse lá e dissesse ‘senhor prefeito, dia tal, hora tal vamos tirar Campina do racionamento’. São as aves de mau agouro, aquelas hienas da política, aqueles sanguessugas que só fazem sugar do povo. Os mesmos que estão racionando a merenda em São Paulo (alusão ao prefeito João Doria, do PSDB), também querem o racionamento em Campina Grande”, discursou.

Comente