Alunos do IFPB têm projetos premiados em feira nacional e virtual para jovens cientistas

Feira foi realizada de 26 a 28 de junho e reuniu cerca de 300 projetos finalistas, pesquisa científicas de diversas áreas, desenvolvidas por professores e estudantes de todo o país

O Instituto Federal da Paraíba (IFPB) no campus de Catolé do Rocha, no Sertão FPB foi destaque na Feira Brasileira de Jovens Cientistas, a primeira feira científica e pré-universitária nacional, totalmente virtual. Dois trabalhos desenvolvidos por estudantes do Curso Técnico Integrado em Edificações foram premiados.

A feira foi realizada de 26 a 28 de junho e reuniu cerca de 300 projetos finalistas, pesquisa científicas de diversas áreas, desenvolvidas por professores e estudantes de todo o país. Além de estimular a produção científica no país, o evento permitiu o desenvolvimento de uma rede de jovens cientistas brasileiros.

Ao final da FBJC, o projeto Desenvolvimento de pHmetro com plataforma arduino para deficientes visuais; do Campus Catolé do Rocha foi premiado em terceiro lugar na área de Engenharia. O trabalho foi desenvolvido pelas estudantes Letícia Bezerra Sousa Diniz, Ana Beatriz Almeida e Hillary Diniz Saldanha, Alexsandro Trindade(coorientador) e Tainá Souza (orientadora). O projeto também conquistou o segundo lugar no Prêmio de Excelência em inovação do Innovolab.

De acordo com a professora Tainá Souza a ideia do projeto surgiu da necessidade de diminuir algumas limitações observadas por alunos não videntes e/ou de baixa visão. Ela explicou que associando a química e a informática, o equipamento foi programado para expressar o pH de uma substância através de um sinal sonoro, permitindo uma maior inclusão dos alunos nas aulas.” A feira foi uma oportunidade para interação e crescimento dos alunos. Ainda estamos em fase de validação do protótipo e finalizando o processo de depósito da patente, almejando que este possibilite uma maior inclusão de alunos, no processo de ensino-aprendizagem” disse a orientadora.

Outro destaque do IFPB foi o projeto “Proposta de desenvolvimento de laboratório para ensino de robótica com arduíno,que ficou em terceiro lugar no Prêmio de Excelência em inovação do Innovolab. O trabalho foi desenvolvido pelos alunos Gabriel Soares da Costa, Edna Dayara Aristides de Lima e Radymilla Cristiano Camilo, além de Alexsandro Trindade Sales da Silva (orientador) e José de Arimatéia Augusto de Lima (coorientador).

Segundo Alexsandro Trindade a ideia foi criar um kit de robótica com menor custo em relação aos já existentes, mais compacto e fácil de transportar. “O terceiro lugar do prêmio Inovação foi uma grande conquista. O projeto também foi aprovado no edital do Interconecta 2020, o nos proporcionará receber um apoio financeiro que deve ser suficiente para concluirmos nosso trabalho e transformar nossa ideia em um produto” disse o orientador.

Outro trabalho apresentado durante a feira foi o de “Produção de plástico biodegradável da casca da manga e utilização como invólucro de mudas”, composto pelos alunos Roberto Araújo, Andreza Vieira de Araújo Correio e Rivaldo Ezequiel da Silva, sob a orientação da professora Tainá Souza Silva.

Comente