- Publicidade -
Cotidiano

Agrônomo da Semam diz que PMJP comete crime se não disciplinar espécies invasoras na orla

O agrônomo da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) de João Pessoa, Anderson Fontes, entrou em contato com a reportagem do Paraíba Já para explicar o planejamento da pasta em derrubar cerca de 1,5 mil castanholas ao longo da orla marítima de João Pessoa, no trecho que compreende as praias de Tambaú e Cabo Branco. Ele disse que, se os cortes não forem feitos, o prefeito Luciano Cartaxo (PV) pode responder por crime ambiental.

- Continua depois da publicidade -

+ A volta do ‘prefeito lenhador’: oposição lamenta corte de 1,5 mil árvores em JP

“Se o município for omisso em tratar a questão das plantas invasoras principalmente em áreas de preservação permanente junto às vegetações fixadoras de dunas, ele é enquadrado no artigo 61 da lei de Crime Ambiental 9605/98. Ele está praticando um crime ambiental. Se o município não cuidar em fazer o disciplinamento, retirando a vegetação [invasora] e deixando a vegetação que é para fazer parte da paisagem urbana, principalmente na orla, ele está praticando crime. Estudos, feitos há mais de 15 anos, apontam para esse problema que está se agravando e a gente tem que tomar uma atitude senão daqui a pouco não temos mais dunas no nosso município, principalmente na orla da Capital”, explicou.

 

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar