Agentes de saúde realizam assembleia para decidir se paralisam atividades em JP

O Sindicato dos Agentes de Combate às Endemias (Sindasvam) de João Pessoa, irá realizar nesta quarta-feira (30), uma assembleia, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações da Paraíba (Sinttel-PB). Os profissionais, que alegam falta de material de trabalho e fardamento há três anos, deve deliberar sobre paralisação por tempo indeterminado de suas atividades na Capital.

De acordo com a presidente do sindicato, Célia Marques, os últimos quatro secretários municipais de saúde sempre receberam o sindicato, no entanto, nenhuma das reivindicações postas é encaminhada aos competentes.

Célia contou que o secretário municipal de saúde, Adalberto Fulgêncio, recebeu a equipe do sindicato em uma mesa para negociações, porém, o acertado foi apenas o encaminhamento do processo de regulamentação. De acordo com ela, todos foram ouvidos, mas a resposta é de que não há dinheiro para pagar. O secretário solicitou que aguardassem quatro meses para que o material de trabalho e a farda dos agentes fossem comprados, alegando que esteve ausente da secretaria e que por esse motivo não pode fazer os devidos encaminhamentos.

“Nada é feito por parte do prefeito para a valorização dos agentes de saúde, nem mesmo o mínimo que é farda e material de trabalho. Nem aumento, mesmo com o governo federal injetando milhões por causa do aedes. Acreditamos que os secretários de saúde até reconheçam os agentes e nosso trabalho, porém a decisão é do prefeito”, criticou Célia.

Célia citou que a comissão de agentes apresentou ao secretário uma lei implementada na cidade de Sapé, instituindo o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica para os Agentes Comunitário de Saúde, além do Plano de Cargo, Carreira e Remuneração.

A presidente do sindicato relata ainda que a assembleia sairá em caminhada pelas ruas do centro da cidade e citou a situação de outros municípios.  “Lei n 1.208/2015, Sapé, 29/10¹2015. Outros prefeitos estão pagando um incentivo chamado décimo quarto, PMAQ, SUS, vale alimentação. Só em João Pessoa que não sai nada. E no país todo, os agentes sendo valorizados. Na capital estamos brigando por incentivo, aumento foi totalmente descartado”, explicou.

 

Comente