Agentes de endemias protestam contra descaso da PMJP e fazem “funeral” da gestão de Cartaxo

Descontentes com o descaso do prefeito Luciano Cartaxo pelas reivindicações da categoria, os agentes de saúde e de endemias realizaram um enterro simbólico na Câmara de Vereadores como forma de protesto. Na manhã desta quinta-feira (22), os manifestantes levaram para as galerias da Câmara uma réplica de caixão e uma coroa de flores para simbolizar a falta de atenção à categoria.

Nesta quarta-feira (21) a categoria também ocupou as galerias da Câmara como forma de protesto pela quebra de acordo por parte da Prefeitura de João Pessoa. Havia sido acordado o envio de um projeto para formalizar o pagamento da gratificação PQAVS.

No entanto, o secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, não cumpriu o prometido e o projeto do executivo não chegou para apreciação dos vereadores. Já existe uma lei que regulamenta o pagamento desta gratificação, no entanto, a forma de partilha deste recurso é questionada pela categoria.

O protesto dos agentes comunitários de saúde contra o prefeito Luciano Cartaxo na Câmara Municipal de João Pessoa ganhou a adesão dos vereadores da bancada de oposição. Marcos Henriques e Raíssa Lacerda foram até os manifestantes para demonstrar seu apoio à pauta de reivindicação.

Eles chegaram a carregar o caixão simbólico feito com a foto do prefeito Luciano Cartaxo. E ainda depositaram flores próximo ao caixão e chegaram a acender velas.

O velório simbólico acontece como forma de protesto devido à situação precária que os agentes enfrentam no dia-a-dia de seus trabalhos.

A vereadora Raíssa Lacerda (PSD) propôs um cortejo fúnebre para a casa do prefeito, no Bairro dos Estados. “Secretário Adalberto, aprenda a tratar o povo com dignidade. Se a gente leva agente de saúde, enfermeiro, dentista, médico, a gente é maltratado. Nós vamos bater nisso incansavelmente até conseguir o direito adquirido da categoria dos agentes. O PQAVS é uma verba federal, ninguém está pedindo favor, não. Esse dinheiro está sendo usado onde”, questionou Raíssa.

A agente de Saúde Célia Marques, uma das líderes do movimento, repudiou o desrespeito do secretário de Saúde. “Raíssa participou da reunião, Marcos Henrique, Milanez, Leo Bezerra, quer dizer que esses vereadores estão mentindo e só quem está dizendo a verdade é Adalberto? Porque Adalberto disse ontem que não fez nenhum acordo com essa Casa. Nós estamos lamentando a falta de respeito de Adalberto e vamos fazer hoje o enterro do prefeito, não há mais condições de trabalho, depois de seis anos sem reajuste, sem farda, sem material de trabalho”, ressaltou Célia.

Nesta quarta-feira (21) a categoria também ocupou as galerias da Câmara como forma de protesto pela quebra de acordo por parte da Prefeitura de João Pessoa. Havia sido acordado o envio de um projeto para formalizar o pagamento da gratificação PQAVS.

No entanto, o secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, não cumpriu o prometido e o projeto do executivo não chegou para apreciação dos vereadores. Já existe uma lei que regulamenta o pagamento desta gratificação, no entanto, a forma de partilha deste recurso é questionada pela categoria. Com informações do ClickPB