Adolescente de SP testa positivo para coronavírus; governo não considera como caso confirmado

O Ministério da Saúde informou na manhã desta quinta-feira (5) que a contraprova dos exames de coronavírus da adolescente de São Paulo realizado pelo Instituto Adolfo Lutz deram positivo, no entanto, o caso não é considerado como confirmado pois não preenche a definição para COVID-19.

“Segundo critérios técnicos, embora tenha confirmado a presença do vírus, um portador assintomático não cumpre a definição de caso, o que incluiria febre associado a mais um sintoma respiratório. Portanto, esse não será somado aos casos confirmados do novo coronavírus”, diz a nota do Ministério da Saúde.

O Brasil permanece com três casos confirmados e 531 suspeitos são monitorados. Outros 315 casos já foram descartados por exame laboratorial. Os três casos confirmados são de moradores de São Paulo.

A paciente de 13 anos viajou ao exterior, com passagem por Portugal e Itália, e teve uma lesão durante a viagem. Ela voltou ao Brasil neste domingo (1º) e procurou atendimento médico no Hospital Beneficência Portuguesa, na capital paulista, no dia 3 de março. Mesmo sem apresentar sintomas, os médicos coletaram amostras para teste para coronavírus que foi encaminhada ao Laboratório Fleury. O resultado do exame deu positivo.

De acordo com o Ministério da Saúde, outras análises estão sendo realizadas, que devem mostrar a carga viral da paciente e potencial de transmissão, além da supressão de sintomas por uso de medicamentos, já que ela foi atendida em hospital italiano após lesão de ligamento e histórico dos familiares que a acompanharam na viagem.

Primeiros casos

Nesta quarta (4), foi confirmado o terceiro caso de coronavírus no Brasil. O homem é natural da Colômbia, tem 46 anos, é administrador de empresas, mora em São Paulo, e viajou para a Itália, Áustria, Alemanha e Espanha.

No último sábado (29), a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e o Ministério da Saúde confirmaram o segundo caso de coronavírus no estado. Trata-se de um homem de 32 anos que reside em São Paulo e que chegou de Milão, na Itália, na quinta-feira (27).

O primeiro caso foi confirmado na quarta-feira (26). Trata-se de um homem que também reside em São Paulo e possui 61 anos. Ele retornou de Turim, no norte da Itália, na sexta-feira (21). As informações são do G1.

Comente