- Publicidade -
Cotidiano

Acidentes de moto representam 66% nos atendimentos no Ortotrauma

Acidentes com motos representam 66,57% do total de casos de colisão no trânsito registrados no período de janeiro a abril deste ano, no Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio de Miranda Burity (CHMGTB) – Ortotrauma. Na maioria das ocorrências, os envolvidos precisam ser operados. O custo de cada procedimento é alto, dependendo da lesão do paciente, da gravidade e do número de materiais necessários a serem implantados em seu corpo.

- Continua depois da publicidade -

Foram contabilizados no Ortotrauma, no primeiro quadrimestre do ano, 667 casos de ingresso de pacientes por acidente no trânsito. Além dos 444 casos com motocicletas (66,57%), foram registrados 197 envolvendo os outros tipos de veículos (29,54%). Os demais casos, 26, foram de atropelamentos (3,9%).

Para exemplificar a grande ocorrência dos acidentes de trânsito, a diretora-geral do Complexo Hospitalar de Mangabeira, Fabiana Araújo, afirma que há plantões em que são feitas até sete cirurgias de urgência e emergência, com casos em que o paciente está com uma fratura exposta e se faz necessária a colocação de um material chamado de fixador externo.

“O número de vítimas de acidentes no trânsito é crescente e compromete a capacidade instalada dos hospitais, simplesmente por causa de imprudência dos motoristas. Quando o cidadão sofre um acidente, sua saúde é comprometida, ele é afastado do meio social, resultando em inúmeros prejuízos que poderiam ser evitados, em sua grande maioria, com educação no trânsito e mais atenção à sinalização”, afirmou a diretora-geral do Complexo Hospitalar de Mangabeira, Fabiana Araújo.

Reincidentes – De acordo a chefe da Divisão de Educação para o Trânsito (Died) da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), Gilmara Branquinho, ao menos 54% dos acidentados são reincidentes. Ela cita entre as principais irregularidades, o uso de aparelho celular, a ingestão de bebida alcoólica, excesso de velocidade, ultrapassagem forçada, bem como a falta de atenção e desobediência às normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) de modo geral.

De acordo com o médico do Ortotrauma, André Macedo, de modo geral, os pacientes vítimas de acidentes com motos são pessoas jovens. “Há o caso de um pedreiro que passou recentemente por uma cirurgia para reparar fraturas no braço e na perna, após um acidente de moto, no qual houve perda total do veículo. Mas, na verdade, este já era o segundo acidente de moto dele. Como ele precisa de repouso para se recuperar, ele estava preocupado com sua renda, já que não tinha emprego formal, mas há contas a pagar”.

Exigências – Para conduzir veículo motorizado, o condutor deve estar habilitado, em caso de motocicletas e motonetas na categoria A. Para conduzir ciclomotores (cinquentinhas) o condutor deve estar habilitado também na categoria A ou possuir a ACC (Autorização para Condução de Ciclomotores).

Para evitar os riscos de fraturas e ferimentos diversos em caso de acidentes, é de extrema importância o uso de equipamentos de segurança, especialmente o capacete, tanto para o condutor, quanto para o passageiro. Luvas, botas, jaquetas e calças com proteções especiais também são úteis para motociclistas.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar