Academias em JP e CG param atividades como medida de prevenção ao coronavírus

Estabelecimentos em João Pessoa e Campina Grande já estão tomando medidas para prevenir o aumento do número de casos do novo coronavírus no Brasil. Nessa terça-feira (17), alguns clubes, academias de ginástica, musculação e treino de lutas divulgaram oficialmente a suspensão temporária das atividades. As medidas foram tomadas como forma de prevenção para evitar a disseminação do vírus.

O Clube Campestre, em Campina Grande, comunicou nessa terça-feira (17) a suspensão de todas as atividades por tempo indeterminado a partir da próxima quinta-feira (19). Apenas a secretaria do clube irá funcionar.

Uma academia de musculação também em Campina Grande, a UnifitCG informou a suspensão das atividades a partir de hoje (17) por meio das suas redes sociais. A previsão de retorno é no dia 12 de abril. De acordo com o comunicado, os alunos terão os dias de pausa acrescidos em seus contratos.

Já em João Pessoa, após o decreto publicado pelo prefeito Luciano Cartaxo, algumas academias de musculação já se posicionaram e decidiram adotar a suspensão de atividades como medida preventiva. A HVITA Academia, no bairro dos Bancários, decidiu suspender as atividades a partir desta quarta-feira (18) com previsão de retomada das aulas no dia 2 de abril.

Já as unidades da Redzone Academia, nos bairros Quadramares e Estados, suspendeu as atividades pelo período de 15 dias como medida de prevenção. Apesar disso, a direção da academia declarou que “vamos acompanhando e torcermos para que possamos abrir antes”.

Também em João Pessoa, a Academia Boca Team, especializada em treinamentos de jiu jitsu também decidiu suspender as atividades por, no mínimo 15 dias. Segundo a direção, a data exata do retorno das atividades será informada assim que possível.

O decreto de emergência publicado em edição especial do Semanário pela Prefeitura de João Pessoa recomenda o fechamento durante 15 dias de cinemas, teatros, academias e centros de ginástica, entre outros locais onde há grande concentração de pessoas.

O decreto também prevê, entre outras medidas, que as instituições de longa permanência para idosos (ILPI) e congêneres devem limitar, na medida do possível, as visitas externas, além de adotar os protocolos de higiene dos profissionais e ambientes e o isolamento dos sintomáticos respiratórios.

Comente