O ex-vereador de João Pessoa e hoje aliado do Senador Cássio Cunha Lima (PSDB), Renato Martins (PSDB), utilizou uma rede social pessoal para afirmar que não está apoiando o pré-candidato Lucélio Cartaxo (PV), pelo contrário, o ex-parlamentar criticou a forma como o atual prefeito da Capital Luciano Cartaxo (PV), vem conduzindo a prefeitura, afirmando que a gestão dele é ‘mediana e precária’.

“A minha opinião demonstrada em 4 anos de mandato como vereador, é que sua gestão, prefeito, é “mediana e precária” em muitos itens essenciais, mas reafirmo que a população soberanamente a reelegeu à frente da gestão da cidade, e isso em si, lhe dá sim a legitimidade da maioria democrática em oposição ao que penso que poderia ser muito melhor. Sou minoria, mas não inexisto por isso”, disse.Renato ainda fez um apelo ao Ministério Público, para que pudesse reanalisar e averiguar irregularidades existentes na gestão Cartaxo, e citou como exemplo a obra da Lagoa, afirmando que houve superfaturamento.

“É justamente nesta postura que faço minha resposta. A mesma de pedir auditorias públicas para reanalisar concessões de transporte coletivo, coleta de lixo e zona azul (esta também fui ao MP para averiguar irregularidades) foi a mesma que usei para ir à vanguarda da investigação da obra da Lagoa. Supostas 200 mil toneladas retiradas, equivalem a todo o lixo da cidade em um ano, e para isso vemos compactadores e toda uma estrutura cara que simplesmente não vi na dita obra, que teve este item obscuro regiamente pago com nosso recurso. Dito isso, eu como líder da oposição a época, cumprindo minha obrigação de ser um investigador pessoal do caso, fui a justiça para implantar a CPI da Lagoa, inclusive ganhei em primeira instância. Fomos com outros colegas na PF, no MPF e no MP. E em todos, a confirmação de nossas investigações deu resultado positivo”, afirmou.

O ex-parlamentar concluiu a sua fala dizendo que só é aliado de pessoas honestas, e desejando sorte ao prefeito.

“Então finalizo, prefeito eleito, dizendo que sou aliado, antes sim da honestidade. Posso quebrar a cara, me decepcionar, ser traído, não ter como responder na mídia contra as versões dos endinheirados. Mas isso não impede de continuar tentando. E minha ação científica de apuração dos fatos neste caso não deixa dúvidas dos erros graves cometidos em prejuízo do erário público e ainda a serem definidos os culpados pela justiça que nosso Brasil tanto precisa. Desejo muita luz a sua autoridade, na gestão da cidade que tanto pode aperfeiçoar mais e mais na via da democracia mesmo com seus limites que as vezes favorecem improvisos de toda ordem. Até políticas”, finalizou.

Comente