28 C
João Pessoa, PB
segunda-feira, 19 novembro 2018
GOVPB

Vereadores de Conde adiam votação de crédito especial e prometem sessão de “portas fechadas”

Mais uma vez, vereadores de Conde adiam votação de projeto de lei de iniciativa do Poder Executivo que pede a aprovação de crédito especial – um remanejamento do orçamento de R$ 3 milhões para investimentos em Educação. O motivo foi o incômodo da Mesa Diretora da manifestação popular durante a sessão desta segunda-feira (19), que pressionava os vereadores pela aprovação da proposta.

A prefeita Márcia Lucena (PSB) enviou no dia 3 de outubro o projeto para apreciação dos vereadores. Com apenas uma sessão ordinária por semana, a bancada de oposição, composta por seis dos 11 vereadores, havia trancado projetos de interesse da Prefeitura.

Apenas durante a sessão que os vereadores que compõem as Comissões de Constituição e Justiça e Finanças assinaram parecer favorável para o remanejamento do Orçamento. Ao ser posto em discussão, o líder da oposição Malba de Jacumã  (SD) afirmou que não se sentiu preparado para votar a favor da proposta. “Eu acho interessante que a gestora municipal, que fica usando o povo como massa de manobra, para denegrir imagem de vereadores, fazendo vídeos para nos pressionar. Eu voto com consciência. Por isso que quero saber mais informações sobre o projeto”, disse.

Malba se mostrou nitidamente incomodado com a participação do povo durante a sessão e pediu para que o presidente da Câmara, Luzimar (DC), restabelecesse a ordem no plenário. O presidente decidiu encerrar a sessão. “Vou encerrar a sessão e vou marcar a próxima de portas fechadas”, decretou.

 

Publicidade
ALPB

TRE-PB define nova data para a realização de eleições suplementares em Cabedelo

TRE-PB define nova data para a realização de eleições suplementares em Cabedelo

As eleições suplementares de Cabedelo deverão acontecer no dia 17 de março do próximo ano. A data foi aprovada, por unanimidade, durante sessão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), nesta segunda-feira (19). O adiamento do pleito, inicialmente previsto para 9 de dezembro, foi uma determinação do ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele decidiu pela anulação em resposta a um mandado de segurança impetrado pelo Diretório Municipal do PT da cidade portuária. A alegação da sigla foi a de que o encurtamento das datas no calendário eleitoral original gerou prejuízo para o registro das candidaturas.

A minuta com as novas datas foi apresentada pelo corregedor do TRE, desembargador José Ricardo Porto. O magistrado disse entender, durante a sua exposição, que o prazo mais elástico deve atender aos argumentos usados pelo ministro para suspender a eleição. O entendimento foi acatado por todos os magistrados presentes na sessão, inclusive o presidente da corte, desembargador Carlos Beltrão. O detalhamento da minuta, com todas as datas, será publicado no Diário Eletrônico do Tribunal Regional Eleitoral. Com a nova data, a resolução anterior será tornada sem efeito.

Comando da prefeitura

A definição das novas datas para a eleição põe mais lenha na fogueira de indefinições no município. O atual prefeito interino, Vítor Hugo (PRB), tem mandato à frente do Executivo garantido apenas até o dia 31 de dezembro. Ele chegou ao comando do município após eleição interna, na Casa, para definir os integrantes da mesa para o restante do primeiro biênio. Isso porque toda a cúpula da Câmara Municipal foi presa, no bojo da operação Xeque-Mate. Como o prefeito Leto Viana (PRP) foi preso no dia 3 de abril e renunciou ao mandato no mês passado, restou ao presidente eleito no Legislativo assumir o Executivo. Isso por que o vice, Flávio Oliveira, após ser afastado, faleceu.

Uma outra situação complicada precisa ser enfrentada no município, ainda. A chapa eleita para o segundo biênio, de forma antecipada, teve praticamente todos os integrantes presos na Xeque-Mate. É o caso da presidente Jacqueline França; do vice-presidente, Lúcio José; do primeiro secretário, Antônio do Vale, e do segundo secretário Tércio Dornelas. O único que não foi preso no curso da operação foi Vítor Hugo, eleito segundo vice-presidente. Ele até poderia assumir o comando da Casa novamente em janeiro, mas a prisão dos outros integrantes inviabiliza a composição da mesa no formato eleito.

A presidente da Câmara Municipal, Geusa Ribeiro (PRP), tem manifestado o desejo de colocar em votação a anulação da eleição que definiu a futura mesa diretora. Ela não fala abertamente sobre o assunto, mas admite que se for a vontade dos colegas, disputará a presidência da Câmara. Caso isso ocorra, ela deve bater chapa com Vítor Hugo. Quem ganhar, assumirá a prefeitura até que o novo prefeito seja escolhido na eleição suplementar. O grande problema é que há cinco vagas na mesa diretora e apenas cinco vereadores em condições de ocupá-las. Isso por que apenas titulares de mandato podem ter espaço na mesa.

A Câmara Municipal de Cabedelo tem 15 vereadores, mas, deles, dez são suplentes. Ou seja, se Geusa e Vítor Hugo não entrarem em acordo, dificilmente será possível formar uma chapa. As informações são do blog do Suetoni.

Publicidade
ALPB

João Azevêdo discute com Comissão de Transição mudanças na estrutura administrativa do Estado

O governador eleito da Paraíba, João Azevêdo (PSB), iniciou a semana reunido com a Comissão de Transição do Governo (CTG). Mudanças na estrutura administrativa do Estado estiveram entre os temas discutidos no encontro realizado nesta segunda-feira (19).

De acordo com João Azevêdo, a CTG deverá apresentar, ainda esta semana, um estudo definitivo sobre eventuais alterações na estrutura do governo que passarão a vigorar a partir do próximo ano.

“Está estabelecido um cronograma de trabalho, não só de levantamento de informações, mas, acima de tudo, de apresentações das propostas, na próxima quinta-feira, em forma definitiva para aprovação, de algumas alterações que pretendemos realizar na estrutura administrativa do Estado. Em breve, vamos apresentar ao povo da Paraíba o que pretendemos fazer de mudança estrutural dentro do Governo do Estado”, assegurou.

João Azevêdo também informou que a CTG está elaborando um levantamento sobre os trabalhos desenvolvidos em cada secretaria do Estado.

“A presidência da comissão está encaminhando para cada secretaria o modelo de relatório que cada uma deve apresentar, quais as informações que devem constar no relatório que deve ser entregue até a próxima semana”, explicou.

O secretário chefe da Controladoria Geral do Estado, Gilmar Martins, que preside a CTG, afirmou que a equipe de transição também está trabalhando para apresentar, até o final de novembro, informações que possam embasar projetos de leis e decretos necessários para colocar em prática as propostas do governador eleito a partir de 2019.

“O propósito maior é estudar as possíveis reformas que podem ser feitas no sentido de adequar a proposta de governo de João Azevêdo. Nós estamos pensando em ações que visem trazer mais eficiência e modernização à administração pública. O nosso objetivo é chegar no dia 2 de janeiro com todas as ações prontas para começarmos o novo governo”, disse.

A Comissão de Transição do Governo foi instituída na última quarta-feira (14), através de decreto assinado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), divulgado no Diário Oficial do Estado.

Além do secretário chefe da Controladoria Geral do Estado, Gilmar Martins, a CTG também é formada por Gilberto Carneiro (procurador-geral do Estado); Livânia Farias (secretária da Administração); Amanda Rodrigues (secretária de Finanças); Deusdete Queiroga Filho (secretário da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia); e Waldson Souza (secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão).

Publicidade
ALPB

Prefeito de Cabedelo vistoria reforma no antigo Hospital Geral; investimento é de cerca de R$ 4 milhões

prefeito Vitor Hugo realizou, nesta segunda-feira (19), uma inspeção às obras de execução da reforma da Unidade de Atenção Especializada em Saúde (Antigo Hospital Geral). A visita serviu para o gestor conhecer, in loco, as intervenções que estão sendo realizadas na unidade, em um investimento de cerca de R$ 4 milhões.

A unidade, que atualmente funciona como Anexo da Policlínica, já foi o Hospital Geral do município e deixou de funcionar há cerca de 15 anos. A reforma possibilitará a ampliação da área utilizada que, hoje, ocupa apenas 50% de sua estrutura.

“Estamos investindo cerca de R$ 4 milhões nessa reforma, que transformará o que hoje funciona como  Anexo no novo Hospital Geral da cidade. A unidade, depois de pronta, funcionará, inclusive, com três leitos de UTI. Teremos, assim, um ambiente novo e  reformado, pensando em oferecer um atendimento digno e de qualidade aos filhos de Cabedelo”, declarou o prefeito Vitor Hugo.

A reforma do Antigo Hospital Geral contempla toda a parte estrutural, recuperação das partes elétricas e hidráulica, bem como a adequação dos espaços de acordo com as normas técnicas.

“Esse ambiente que já foi o Hospital Geral de Cabedelo funciona, hoje, como um ambulatório, em 50% das instalações, porque o restante está praticamente abandonado. A estrutura apresenta problemas de infiltração que comprometem a estrutura física, problemas de energia e hidráulica. Vamos contemplar a cidade de Cabedelo com um novo hospital. Teremos aqui um ambiente todo desenhado para ser um Hospital referência na região metropolitana de João Pessoa”, explicou o secretário da saúde, Wagner Murilo Suassuna.

A perspectiva da Secretaria de Saúde é manter o Hospital Municipal Padre Alfredo Barbosa apenas como maternidade ou como um Centro de Imagem, juntamente com um ambulatório para oferecer os serviços que hoje funcionam na Policlínica e no Anexo de forma improvisada.

“Encontramos a unidade muito deteriorada. Estamos trabalhando com material de primeira qualidade e contamos com uma equipe de 40 homens empenhados na execução dos serviços. Estamos avançando na parte de pavimentação, instalações hidráulicas, estruturas de alvenaria e posteriormente revestimento. Nesses dias começamos com o revestimento interno e pavimentação de calçadas”, comentou o engenheiro responsável pela obra, Demétrio Araújo.

Publicidade
ALPB

Governo realiza consulta pública para projeto de segurança hídrica no Estado

segurança hídrica

A Secretaria de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia (SEIRHMACT) realiza, nesta terça-feira (20) e quarta-feira (21), reuniões ordinárias para consulta pública, a fim de apresentar a avaliação socioambiental do Projeto de Segurança Hídrica do Estado da Paraíba (PSH/PB). A primeira reunião ocorrerá às 10h, no auditório da Secretaria da Educação, na cidade de Sumé, com ênfase no Sistema Adutor – ramal Cariri e Curimataú. Já a segunda será às 10h, no auditório da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), em Jaguaribe na Capital, com ênfase sobre Reestruturação do Sistema de Esgotamento Sanitário da Capital e sobre o controle e redução de perdas d’água do sistema de abastecimento da região metropolitana de João Pessoa.

Os documentos elaborados podem ser consultados no endereço eletrônico paraiba.pb.gov.br/projeto-de-sustentabilidade-hidrica/. Para mais informações o interessado deverá entrar em contato por meio do telefone (83) 3218-4660 e/o pelo e-mail:[email protected].

O projeto tem como objetivo melhorar a gestão hídrica no Estado da Paraíba, aumentando a disponibilidade hídrica na região do Semiárido e melhorando a qualidade dos serviços de gestão dos recursos hídricos e saneamento na região metropolitana de João Pessoa. O projeto tem um custo total estimado de US$ 218,3 milhões, sendo US$ 138,1 milhões de empréstimo do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Banco Mundial) e US$ 80,2 milhões de dólares de contrapartida estadual.

A Consulta Pública, integrante no processo de preparação do projeto desenvolvido pelo Governo do Estado e Banco Mundial para fins de negociação, tem por objetivo apresentar as Políticas de Salvaguardas Sociais e Ambientais do Banco Mundial identificadas para o projeto. A ação busca assegurar a integridade e sustentabilidade social e ambiental de projetos de investimento, integrando os aspectos ambientais e sociais ao processo decisório, além de apresentar as ações que compõem o projeto. A mesma balizará os instrumentos elaborados para guiar as atividades de gestão socioambiental e reassentamento a serem adotadas pelo Governo da Paraíba como parte dos compromissos do empréstimo a ser firmado com o Banco Mundial.

Publicidade
ALPB

Advogado desmente Assis e mostra que três processos sobre caso de assédio sexual na OAB-PB ainda tramitam na Justiça

O advogado de Lanusa Monte, José Mariz, encaminhou nota e documentos à imprensa comprovando que o atual secretário-geral da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba, Assis Almeida, não foi absolvido nos processos sobre o caso de assédio sexual e moral contra a sua cliente. “Ainda tramitam processos na Justiça do Trabalho (Processo nº 0000532-18.2017.5.13.0025 – em sigilo), bem como, na Justiça Federal (Processo nº 0806147-41.2018.4.05.8200) e na Justiça Comum (nº 0802862-62.2017.8.15.0731) em que Assis Almeida figura como réu”, informou, lembrando que o processo número 0808245-96.2018.4.05.8200 foi arquivado por existir um de igual teor na Justiça Federal.

Lanusa Monte era secretária da OAB desde 1998 e denunciou que foi vítima de assédio, praticado pelo seu chefe imediato. Ela até tentou recusar o posto de secretária, pois meses antes Assis Almeida teria se aproximado, abraçado-a e falado: “Como você está cheirosa! Eu só queria 10 minutos em cima da cama com você”. O caso se agravou quando o secretário começou a fazer gestos obscenos para Lanusa. Após esses episódios, a secretária conversou com o presidente da OAB-PB, Paulo Maia, que garantiu a transferência da servidora para a Escola Superior da Advocacia (ESA).

Maia garantiu que Lanusa não seria demitida, mas ocorre que, após o retorno das férias, em janeiro de 2017, a servidora foi surpreendida com sua transferência para a Comissão de Prerrogativas, onde Assis Almeida atua como membro. Também foi surpreendida pela instauração de Procedimento Administrativo que visava apurar não apenas a conduta criminosa, mas a veracidade das alegações da servidora, constando que, caso não ficassem comprovados os fatos, a servidora seria demitida por justa causa.

Lanusa não teve direito a ampla defesa e ao final acabou sendo demitida, pois não teria conseguido comprovar o assédio sofrido. “Paulo Maia e Assis Almeida utilizaram-se da força dos cargos que ocupam para acomodar a situação da forma mais conveniente possível, pensando tão-somente em seus próprios interesses”, disse Mariz.

“Temos total confiança na justiça. Lanusa foi vítima de assédio, teve a sua vida exposta, perdeu o emprego e ainda vem sendo acusada de ter inventado o caso. Que mulher, profissional, casada, mãe de família, inventaria que foi vítima de assédio? Esperamos que essa injustiça seja reparada e que seja comprovado que ela é a grande vítima de toda essa história”, afirmou Mariz.

Publicidade
ALPB

Em tempos de crise, é preciso ter coragem para governar, defende RC durante palestra no RN

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, apresentou a palestra “Caso de Sucesso na Gestão Pública” nesta 36ª edição do Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte. O governante paraibano expôs os números relativos às despesas com a folha de pagamento do funcionalismo paraibano, que comprometia 67,60% da Receita Corrente Líquida quando ele assumiu o primeiro mandato há oito anos.

“O Estado paga um preço altíssimo. Tem muita gente pagando mal e pouca gente ganhando muito. O Estado não cumpria sua função. Era um Estado sem capacidade de investimento, que dependia da atividade-meio. Nosso investimento girava em torno de 4% e 5% . Nos melhores anos, chegava a 8%”, frisou o governante. Ricardo Coutinho destacou que, para governar Estados e Municípios em tempos de crise é preciso ter coragem. “Para começar a governar, nós cortamos custeio, congelamos reajustes de salários no Executivo. “Atacamos os gastos da máquina pública”, declarou Coutinho.
O governador paraibano citou que implementou sua política governamental com base num quadrilátero administrativo que envolve, além da “coragem para mudar”, as responsabilidades social, econômica, fiscal e democrática. Em empresas estatais como a Cagepa, que operacionaliza a gestão do saneamento básico e abastecimento na Paraíba, Ricardo Coutinho disse que congelou salários de servidores antigos que chegam a R$ 50 mil mensais. “Nós discutimos judicialmente, mas a saída foi congelar os salários. A Justiça não permitiu aplicar salários menores”, disse. A medida foi aplicada como indispensável à garantia da sustentabilidade da empresa.
O Governo da Paraíba conseguiu, ao longo de aproximadamente oito anos, reduzir os custos com a folha salarial de 68% para 62% em relação à Receita Corrente Líquida (RCL). No Poder Executivo, a queda registrada no período foi de 57% para 50%. “Se o Estado não tivesse adotado essa diretriz, teria capotado. Não teria investido em nada. Se não fosse isso, das oito grandes obras que propomos e executamos, não teríamos feito nenhuma. Nós conseguimos aplicar todos os recursos que recebemos em repasses”, disse Coutinho.
Na Paraíba, conforme dados expostos durante a palestra no Motores do Desenvolvimento, a taxa de desocupação está abaixo da média nacional. O estado paraibano registrou 11,4% em 2018, enquanto o Rio Grande do Norte está em 15,6%. Ricardo Coutinho credita o feito aos investimentos feitos em infraestrutura e carreamento de água para as regiões menos abastecidas a partir da construção e ampliação das adutoras já existentes no território paraibano. “Ouvi relatos de produtores rurais que ampliaram a produção em três vezes por causa das estradas que construímos. Quase a cada 15 dias, inauguramos uma obra rodoviária. Implantamos um quilômetro de asfalto por dia”, destacou Ricardo Coutinho. A Paraíba tinha, até pouco tempo, 54 cidades cujos acessos não se davam via estradas asfaltadas. “Hoje, a realidade é diferente. Todas estão asfaltadas”, complementou o gestor.
Em relação à agricultura, Ricardo Coutinho exibiu o Canal Acauã-Araçagi, que abastece diversas regiões paraibanas a partir da água que chega através da Transposição do Rio São Francisco. “Essa obra permitirá que toda a região do Brejo Paraibano tenha acesso ás águas da Transposição do Rio São Francisco a partir de pequenas adutoras e reservatórios”, explicou Coutinho. “É uma obra transformadora que permitirá o desenvolvimento local. É uma saída para o semiárido. Temos que desconcentrar investimentos e fazer com que os trabalhadores tenham a possibilidade de permanecer no sertão, mas produzindo e ganhando”, disse.
Outro ponto considerado de extrema relevância pelo governador paraibano é a Educação. Dos 223 municípios, 219 participaram de um pacto formado pelo desenvolvimento da Educação Pública com o Governo do Estado. Além disso, o número de escolas integrais cresceu vertiginosamente e passam de 100 espalhadas por todas as regiões. “Além dos investimentos, adotamos uma política administrativa mais moderna. As escolas hoje não precisam esperar tanto tempo para realizar pequenas obras, por exemplo. Também concedemos 232% de reajuste salarial aos professores de 2011 a 2018”, ressaltou Coutinho.
As informações são do Tribuna do Norte
Publicidade
ALPB

Reviravolta: Justiça da PB concede liminar e garante funcionamento do Lagoa Shopping, em JP

Reviravolta: Justiça da PB concede liminar e garante funcionamento do Lagoa Shopping, em JP

Localizado Centro de João Pessoa, o Lagoa Shopping, que iria encerrar as atividades nesta segunda-feira (19), mantém o funcionamento por força de liminar concedida pelo juiz plantonista Sérgio Moura. O fechamento foi anunciado no último dia 13, pela empresa fundadora do empreendimento, em decorrência de dívidas. A decisão esclarece que o encerramento das atividades iria prejudicar “gravemente” os estabelecimentos comerciais.

O Lagoa Shopping foi inaugurado em janeiro de 2017, com espaço para 150 marcas. Através da sua representação legal, o estabelecimento informou que vai cumprir a decisão integralmente. “Desta forma, as atividades do Lagoa Shopping seguirão normalmente. A representação legal do Lagoa Shopping está em diálogo com os advogados representantes dos lojistas, tentando esclarecer ao máximo a situação”.

A liminar determina, em caráter de urgência, que o Lagoa Shopping permaneça em pleno funcionamento, compreendendo todos os serviços e equipamentos do empreendimento. Além disso, prevê que os responsáveis não impeçam o livre acesso, em horário regular de funcionamento, de lojistas, funcionários e clientes, além de entrada e saída de mercadoria. A decisão também fixou uma multa diária de R$ 10 mil, limitada a R$ 1 milhão, para caso de descumprimento.

Saiba mais

De acordo com informações da assessoria da empresa fundadora, em outubro de 2017, houve uma negociação e o empreendimento passou a ser responsabilidade da Mart Shopping Consultoria Estratégia e Comunicação Ltda.

Nesse acordo, foi estabelecido que, após um determinado tempo, caso uma das partes não estivesse cumprindo as cláusulas, qualquer uma poderia rescindir o contrato.

Na nota, é informado que há dívidas consideradas “incontornáveis”. “A negociação de venda do empreendimento contava com condições de rescisão que agora se estabelecem. O contrato e as procurações que davam poder à Mart Shopping foram cancelados e, assim, verificou-se a impossibilidade da empresa seguir adiante tendo em vista os débitos existentes”, indica a nota.

Com isso, a marca “Lagoa Shopping” voltou a ser responsabilidade da empresa fundadora. No entanto, conforme a nota, dívidas de aluguel do prédio – pertencente a uma terceira empresa – não foram solucionadas e, por isso, essa rescindiu o contrato e solicitou a entrega do imóvel em que o shopping funciona até o dia 30 deste mês.

A empresa ainda explicou que compartilha “a frustração dos lojistas”, que devem receber explicações técnicas sobre o processo, em particular, mas declarou que os custos operacionais e as demandas de liberação do prédio impossibilitam o funcionamento do shopping. As informações são do G1.

Publicidade
ALPB

Um dia após aniversário da cidade, vereadores decidem se Conde fará investimentos em Educação

conde

Um dia após as comemorações dos 55 anos de emancipação do município de Conde, vereadores votam, na tarde desta segunda-feira (19), o projeto de lei de iniciativa da Prefeitura que pede a concessão de crédito especial – um remanejamento de R$ 3 milhões do Orçamento Municipal para investimentos em Educação.

O projeto entrou em pauta na sessão da semana passada, mas a discussão foi adiada. Os seis vereadores de oposição, que procrastinam o debate quando o assunto é de interesse da Prefeitura de Conde, argumentaram que necessitariam discutir a proposta do remanejamento em uma das comissões da Casa, reunião marcada para quarta-feira (14) e não aconteceu.

De acordo com a Prefeitura de Conde, a não aprovação do crédito especial irá inviabilizar obras para Educação, impactando diretamente a economia local.

O pedido de remanejamento do orçamento está na Câmara desde o dia 3 de outubro, mas maioria argumenta que não deu tempo para apreciar a proposta, que descrimina o uso dos R$ 3 milhões para construção e ampliação de creches, escolas, entre outros.

Publicidade
ALPB

Delegação Paraibana embarca para disputar as Paralimpíadas Escolares, em São Paulo

Delegação Paraibana embarca para disputar as Paralimpíadas Escolares, em São Paulo

A delegação da Paraíba que vai disputar as Paralimpíadas Escolares 2018, em São Paulo, viajou na madrugada desta segunda-feira (19) para o evento que vai contar com a participação de 25 estados brasileiros, o que totaliza a presença de 1.236 paratletas na faixa etária entre 12 e 18 anos. Já os paraibanos estão representados por 76 integrantes, entre dirigentes, técnicos e paratletas.

As modalidades que estarão em disputa para a Paraíba nas Paralimpíadas Escolares são: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, judô, natação e tênis de mesa. “O Governo do Estado, desde 2011, se prontifica a apoiar nossa delegação, onde viabiliza as passagens aéreas e sempre levamos de volta um grande índice de medalhas conquistadas. Mais uma vez, os atletas da Paraíba só têm a agradecer pelo apoio”, disse o chefe da delegação da Paraíba, Jean Azevedo.

O secretário executivo de Esporte e Lazer, José Marco, desejou boa sorte aos paratletas e lembrou do potencial paraibano no segmento do paradesporto. “No início da atual gestão, os Jogos Escolares ficaram agregados com os Paraescolares, o que gerou mais motivação aos participantes do paradesporto, além de revelar novos talentos”, frisou. “Que todos e todas que estão nos representando possam dar o melhor de si e o nome da Paraíba continue respeitado no paradesporto nacional”, completou.

Publicidade
ALPB
Publicidade

Mais Lidas

Nossas Redes Sociais

18,562FãsCurtir
8,368SeguidoresSeguir
873InscritosInscrever