Venda de férias por conselheiros e servidores do TCE-PB vira alvo de questionamentos

0

Uma portaria baixada pela presidência do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) está dando muito o que falar. A norma prevê a possibilidade da venda de férias por parte de servidores e conselheiros.

Diz o artigo 1º da portaria que “terão deferidos os seus pedidos de indenização de férias, os membros e servidores que possuírem férias referentes a 2014 ou a exercícios anteriores e solicitarem a respectiva indenização até o dia 11 de novembro de 2016”.

O pagamento será realizado no período de 28 de novembro a 02 de dezembro de 2016 e obedecerá a ordem cronológica de protocolização do pedido.

A venda de férias não tem previsão na legislação brasileira. “A conversão do direito ao gozo de férias em pecúnia só é admissível nas hipóteses em que pela necessidade do serviço, atento ao interesse público, não se possa suspender a sua continuidade, de modo a caracterizar a indispensabilidade do servidor, impedindo-o de usufruir do seu direito (férias), ato que se torna impossível de ser efetivado com o termo do vínculo com o órgão”, diz o auditor de Contas Públicas Paulo Germano da Costa Alves Filho, que escreveu um artigo sobre a matéria. As informações são do blog Os Guedes.

Veja abaixo a portaria:

Portaria TC Nº: 156/2016 – O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e CONSIDERANDO a necessária continuidade do Plano de Adequação e Regularização dos Quantitativos de Férias Acumuladas instituído no âmbito deste Tribunal, RESOLVE:

Art. 1º. Terão deferidos os seus pedidos de indenização de férias, os membros e servidores que, à data da publicação desta Portaria, possuírem férias referentes a 2014 ou a exercícios anteriores e solicitarem a respectiva indenização até o dia 11 de novembro de 2016. Parágrafo único. O período total indenizável limitar-se-á até 30 dias, podendo ser utilizadas frações de férias referentes a mais de um exercício.

Art. 2º. A indenização deverá ser requerida eletronicamente através do TRAMITA, inserindo-se na justificativa o número da presente Portaria. § 1º. O saldo indenizável correspondente a mais de um exercício deverá ser solicitado mediante requerimento único, sendo informado o exercício mais antigo. § 2º. O servidor que possua requerimento anterior deverá efetuar novo pedido nos moldes desta Portaria.

Art. 3º. O pagamento realizar-se-á no período de 28 de novembro a 02 de dezembro de 2016 e obedecerá a ordem cronológica de protocolização do pedido.

Art. 4º. O disposto nesta Portaria não se aplica ao servidor que estiver à disposição de outro órgão.

Art. 5º. Os casos omissos serão decididos pela Presidência, após análise dos motivos que os justifiquem e observada a disponibilidade financeira.

Art. 6º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here