Universitários fazem greve de fome em protesto contra precariedades na UFPB

6

Estudantes da UFPB se acorrentaram na manha de hoje (23) à entrada da reitoria e estão fazendo greve de fome em protesto ao resultado da seleção do auxílio moradia, um recurso de R$ 550,00 pago mensalmente pela universidade para ajudar alunos de baixa renda a se manter em João Pessoa.

Auto-proclamados independentes, “por conta e risco”, sem contar com apoio explícito do Diretório Central dos Estudantes (DCE-UFPB) ou de movimentos como o Levante Popular da Juventude, eles reclamam da demora no anúncio do resultado do auxílio moradio, que durou mais de um ano, e principalmente o número de vagas, que seria insuficiente e não atenderia minimamente a demanda de estudantes.

De acordo com o estudante Felipe Bezerra , um dos líderes do movimento, houve caso de estudante que passou duas semanas dormindo na rodoviária e teve de trancar o curso e ir embora por não ter condições de se manter na cidade, pessoas devendo dinheiro ao banco porque fizeram empréstimo para pagar aluguel, dentre outros casos similares.

Apesar do valor pago ser considerado muito baixo, a quantidade de bolsas de auxílio-moradia, 150, é a principal reivindicação dos estudantes. De acordo com eles, esse número nem chega próximo da necessidade real, levando em conta que a seleção via Enem/Sisu aumentou consideravelmente o número de estudantes vindos de outros estados e cidades do interior.

“A assistência estudantil (da UFPB) não nos escuta, os estudantes não participam das decisões, o que acaba gerando situações, contraditórias, como por exemplo, gente que não precisa e tem a bolsa”, afirmou Felipe.

 

Confira a íntegra da nota dos estudantes:

Na ultima Segunda-feira (22/02/2016) foi liberada a lista de aprovação 2015.1 (após um ano de espera) a respeito da assistência estudantil AUXÍLIO MORADIA. A lista tem apenas 150 aprovadxs, o que sequer de longe chega a abarcar as demandas da UFPB, que estão inseridas em novos contextos nacionais, a exemplo do programa ENEM/SISU, que tem trazido cada vez mais estudantes de outras partes do País. A PRAPE (Pró-reitoria de Assistência e Promoção ao Estudante) além de passar UM ANO para a divulgação dos resultados, NÃO SE RESPONSABILIZA pelas atuais condições de estudantes que, não só durante esse ano, mas também nesse exato momento, ao não serem contempladxs, estão em condições de miserabilidade. Apesar de haver um Edital de seleção divulgado para o referente auxílio, tanto o processo de aprovação (que novamente, durou um ano), quanto a quantidade de bolsas liberadas, estão em desacordo não só com as demandas da UFPB como também com as verbas que essa instituição recebe do Governo Federal. Nesse sentido é que a GREVE DE FOME realizada por estudantes em frente à Reitoria se torna legítima, uma vez que vem a explicitar uma condição que já passam cotidianamente. Os pedidos e reivindicações imediatas são: 1) Nova Lista que corresponda às demandas reais da assistência estudantil na UFPB; 2) Responsabilização da PRAPE que, ao demorar em realizar o processo seletivo, deve arcar com todxs aquelxs que estão participando dessa seleção; 3) Transparência do processo seletivo, devendo haver um acompanhamento representativo dxs estudantes; 4) Abertura pública de contas da UFPB. #abreascontasmargareth

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

6 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here