O deputado estadual Tião Gomes (PSL) levantou uma hipótese e disse que a Polícia Federal deveria investigar se Manoel Júnior (PMDB) não teria usado parte dos R$ 31,5 milhões recebidos irregularmente por Michel Temer (PMDB) – e rateado entre campanhas e correligionários – na campanha de Luciano Cartaxo (PSD) à prefeitura de João Pessoa em 2016. O vice-prefeito de João Pessoa aparece citado em inquérito da PF que investiga o chamado “quadrilhão do PMDB”, que é tratado pelas autoridades como uma organização criminosa.

“A Polícia Federal tem que procurar e ir a fundo nesse processo e sabendo que ele é o vice-prefeito de João Pessoa. E aí vem uma pergunta nossa: será que esse dinheiro não foi usado na campanha de Luciano Cartaxo? Podemos fazer esse questionamento à Polícia Federal. Nós queríamos procurar saber se esses recursos não foram usados para a eleição do prefeito Luciano Cartaxo”, questionou o deputado em contato com o Blog do Gordinho.

Questionado sobre acreditar de fato que aconteceu a utilização desse montante ilícito na campanha de Cartaxo, Tião reservou-se a focar na linha dos esclarecimentos. “É preciso provocar a Polícia Federal. Já que foi deflagrada essa investigação, já que está envolvido o nome da Paraíba, a gente precisa saber se foi usado parte do dinheiro nessa campanha”, explicou. Porém, ponderando que não está acusando, mas sim “dizendo que devem procurar e investigar”, disse.

Tião ainda comentou sobre a contradição de Manoel Júnior, que declarou na semana passada que a investigação não chegaria na Paraíba. “Engraçado que semana passada vi uma entrevista dele, dizendo que o PMDB da Paraíba está todo isento dessas questões, e agora o nome dele aparece envolvido nessas falcatruas”, destacou. As informações são do Blog do Gordinho.

Comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here