O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) irá iniciar uma diligência para examinar a situação contábil, financeira e orçamentária de Bayeux. A determinação foi feita pelo presidente André Carlo Torres Pontes no Memorando nº 62/2017 e já foi recebido pelo diretor de Auditoria e Fiscalização do TCE, Evandro Claudino de Queiroga, na manhã desta quinta-feira (6).

A diligência foi determinada após a prisão, em flagrante, do prefeito Berg Lima (Podemos), na última quarta-feira (05), por extorquir um empresário da cidade. O prefeito se encontra preso e afastado do cargo após audiência de custódia procedida pelo Tribunal de Justiça do Estado.

Confira o texto do documento:

“Sr. Diretor. A Prefeitura Municipal de Bayeux sofreu o afastamento do Chefe do Executivo, sr. Gutemberg de Lima Davi (Berg Lima), ocorrido ontem (05/07). Face às atribuições que são conferidas ao Tribunal de Contas do Estado como órgão de controle externo, determino a essa Diretoria que providencie diligência naquele Poder para fins de examinar a situação contábil, financeira e orçamentária, sobretudo diante dos fatos correlatos aos que acarretaram a decretação da prisão daquele gestor. Atenciosamente, conselheiro André Carlo Torres Pontes, Presidente”.

O caso

O empresário João Paulino de Assis procurou a Polícia no dia 18 de maio para denunciar a extorsãoque estava sofrendo do prefeito Berg Lima.

TCE-PB vai examinar finanças da Prefeitura de Bayeux após prisão de BergEle entregou à Polícia conversas de Whatsapp entre ele e Berg e como foi a extorsão que culminou na prisão.

No pedido de prisão feito pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) é possível ter conhecimento que o restaurante do empresário tinha um contrato com a Prefeitura de Bayeux até o dia 8 de julho e que o débito da gestão com seu restaurante era de R$ 77 mil.

Berg então negociou com Paulino que pagaria R$ 15 mil deste valor, mas o empresário teria de repassar R$ 5 mil para o prefeito.

O empresário denunciou ainda que verificou no Portal da Transparência a existência de contrato grandioso de fornecimento de alimentação, mas que essas grandes quantidades não são entregues.

Empresário denuncia mais contratos

Além disso verificou que existe um contrato de R$ 360 mil para fornecimento de polpa de frutas e estranha o montante já que a necessidade de fornecimento diário de suco na cidade é de R$ 1 mil.

Prisão preventiva

Foi decretada no final da noite desta quarta-feira (5), pelo juiz Aluísio Bezerra, logo após a audiência de custódia no Tribunal de Justiça, a prisão preventiva de Berg Lima, agora afastado do cargo de prefeito da cidade de Bayeux.
Um mandado de busca e apreensão também foi expedido e deverá ser cumprido na prefeitura e na casa de Berg.
Como tem curso superior, ficará preso no 5° Batalhão de Polícia Militar, em João Pessoa, até ser julgado e condenado.
O vice-prefeito Luiz Antônio (PSDB) deve assumir o comando do Executivo bayeuxense já nesta quinta-feira (6), quando a Câmara Municipal deverá empossá-lo como prefeito até que o julgue e decida cassar ou não o mandato de Berg Lima.

Comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here