Parlamentar diz que população é “vítima da cidade de fantasia criada por Cartaxo”

0

“Vítimas da cidade de fantasia, criada por Cartaxo”. Assim descreveu a vereadora Sandra Marrocos (PSB), as mortes causadas por negligência médica na Capital. A parlamentar usou a tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), na manhã desta quinta-feira (3), para ser a voz de milhares de pessoenses, que sofrem diariamente a falência da Saúde pública na Capital, por culpa, de acordo com ela, da gestão “incompetente” do prefeito Luciano Cartaxo (PSD).

Sandra, emocionada e com a indignação na voz, que seria a mesma de grande parte da população de João Pessoa, que precisa utilizar os serviços públicos de saúde para sobreviver e acaba morrendo por culpa do descaso, relembrou o caso da senhora Maria das Neves, que veio a óbito, há 100 metros do Trauminha de Mangabeira, por negligência médica, no dia 27 de julho.

“Perceba como essa gestão é desumana, além de incompetente, se comporta com os familiares das vítimas. Maria das Neve, diabética, hipertensa, chegou lá com uma crise de apendicite, que se não é tratada é fatal. O médico que estava de plantão disse que o atendimento tinha que ser feito de imediato. Marcaram a cirurgia de Maria das Neves para o dia seguinte, só que a equipe do Trauminha disse que não se fazia necessário, mesmo ela gritando de dor, a cirurgia foi cancelada. Maria das Naves foi liberada e morreu há 100 metros do hospital”, relatou.

Relembrando o caso da adolescente que veio a óbito, na maternidade Cândida Vargas, no mês de março, Sandra relatou a insensibilidade da gestão com as vítimas e com seus familiares.

“Além de tudo isso, o que indigna a família, foi o hospital dizer que a mesma saiu quebrando tudo, assim como disseram como a mãe da adolescente que veio a óbito na Cândida Vargas, que chamaram a polícia para levar a mãe presa. Dona Maria, com 63 anos, com crise de apendicite, foi liberada, porque, segundo a equipe, ela tinha ameaçado quebrar tudo no hospital”

De acordo com a socialista, as tentativas de diálogo com Cartaxo chegaram a 100 e nenhum dos ofícios e requerimentos enviados tiveram resposta.

“Encaminhei mais de 100 requerimentos e ofícios, a gestão municipal não me respondeu um, inclusive o que eu solicitava informações sobre a morte da adolescente, que foi tão misteriosa dentro da Cândida Vargas. Vou dizer que independente de ser Maria das Neves, que me causa dor, o que está em jogo é a saúde pública de João Pessoa. A minha oposição ao prefeito de João Pessoa é ideológica”, criticou.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here