Risco de proliferação do Aedes Aegypti é considerado baixo em João Pessoa

    0

    O Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz) divulgou nesta terça-feira (20), o resultado do primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), de 2015. O estudo é realizado quatro vezes ao ano e avalia o risco de reprodução do mosquito da dengue. No consolidado geral, João Pessoa aparece com risco de 0,6%, ou seja, a cada 100 casas, apenas 0,6 apresentam risco de reproduzir o Aedes aegypti .

    Este número é 0,2% menor do que último levantamento, divulgado em outubro de 2014. De acordo com o Ministério da Saúde, quando este número está abaixo de 1%, a localidade é considerada de baixo risco para infestação.

    “O objetivo do levantamento é identificar as áreas de risco para a presença do Aedes aegypti, para que possamos planejar e direcionar as ações de controle. Apesar do risco baixo, o Município está atento. Vamos comemorar realizando mais ações, para que o índice permaneça baixo”, enfatizou o gerente da Cvaz, Nilton Guedes. “Precisamos agradecer a dedicação da Secretaria Municipal de Saúde, o empenho dos agentes de saúde, além da colaboração que a população tem dado,” completou.

    Levantamento – Para a realização do LIRAa João Pessoa foi dividida em 28 áreas e dentre estas áreas, 12 mil residências foram inspecionadas, entre os dias 4 e 9 de janeiro. Apenas em sete áreas foi encontrada uma maior presença do mosquito, como é o caso de Mumbaba e Bairro das Indústrias, que teve 2,1%; Varjão, Cristo e Alto do Mateus e Jardim Veneza, com 1,5%.

    “Isto significa que os moradores destes bairros precisam redobrar a atenção e os moradores das áreas com índices satisfatórios precisam permanecer atentos. É importante que todos colaborem com os agentes abrindo suas portas e prestando atenção em todos os tipos de criadouros”, orienta Nilton Guedes.

    Ainda de acordo com o levantamento, o maior número de criadouros foi encontrado em reservatórios de água para o consumo humano, como caixas d’águas, baldes e panelas, seguidos de descartáveis e pneus.

    O gerente da Cvaz explicou, ainda, que as ações do Centro de Zoonoses serão baseadas nas informações do Liraa. “Vamos desencadear ações específicas para cada área da cidade levando em conta o resultado do levantamento. Também realizaremos, entre os dias 02 a 06 de fevereiro, a Semana de Combate a Dengue em João Pessoa”, concluiu.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here