Ricardo defende política unificada de Segurança Pública para o Nordeste

    0

    O governador Ricardo Coutinho defendeu uma política de segurança pública unificada para a região Nordeste, durante o Encontro de Governadores do Nordeste, realizado em Natal (RN), nesta  sexta-feira (8). O chefe do executivo estadual da Paraíba explicou aos gestores a necessidade de se pensar uma política unificada. “É fundamental que seja encarado como uma política nacional. Nós fizemos uma proposta à presidente que no Nordeste fosse criado um sistema único de segurança pública. Esse problema precisa ser tratado de uma forma regional”, afirmou o governador, que sugeriu ainda que o assunto fosse tratado na próxima reunião dos governadores a ser realizada no mês de junho.

    O governador de Alagoas, Renan Filho, referendou a fala de Ricardo, explicando que o estado alagoano vem adotando uma política de segurança planejada, mas que os Estados precisam de ajuda da União para pensar de forma unificada.

    Ricardo Coutinho alertou aos governadores sobre a necessidade de se ter um olhar especial para o problema da dengue, que hoje já atinge níveis epidêmicos no Nordeste. “Estamos com um surto de dengue no Brasil, mas muito mais grave no Nordeste. Precisamos discutir a questão da saúde e da dengue na região”, alertou Ricardo.

    Ainda durante a explanação, Ricardo Coutinho destacou a fala do ministro Mangabeira Unger, citando o empreendedorismo emergente como política pública propulsora de desenvolvimento para a região. “A concepção de desenvolver a economia de baixo pra cima, de incorporar setores que a partir de um talento, que muitas vezes têm, mas que muitas vezes se faltam estímulo. Estes setores, particularmente no Nordeste, não conseguem produzir, escoar a produção, aumentar o poder de consumo, nem desenvolver as cadeiras produtivas”, afirmou o governador, que citou o exemplo da criação do programa Empreender quando prefeito de João Pessoa, como uma política de investimento e como um caminho importante não só para o Nordeste, mas para o Brasil.

    O governador paraibano falou da necessidade de se pensar a região Nordeste não apenas para os dias atuais, mas para as próximas gerações. “Precisamos olhar para a região não como coitadinha, mas de uma forma diferente para desiguais. Não adianta colocar todo mundo no mesmo patamar. É preciso que se construam instrumentos de captação, onde essa região possa ser cada vez mais industrializada para que não sejamos, daqui há algumas gerações, apenas uma região de consumo e de setor de serviços. Essa preocupação é de todos os governadores”, afirmou Ricardo Coutinho.

    O governador da Paraíba finalizou o discurso explanando sobre a gravidade da seca na região Nordeste. “Estamos no quarto ano de estiagem. Nos reunimos há quarenta dias com a presidente. Já se passaram cinco meses desde o primeiro encontro dos governadores, realizado em João Pessoa. Até hoje nenhum estado recebeu ajuda emergencial. É importante ressaltar que nós  não estamos pedindo algo que não nos pertence. O problema climático pertence à União. Nós precisamos ter prazo para as coisas. É preciso que o diálogo no setor de emergência seja tratado realmente como emergência. Na Paraíba são 812 mil pessoas nessa situação”, finalizou.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here