Quinteto da Paraíba completa 25 anos com apresentação gratuita

    0

    São as bodas de prata de um dos grupos musicais brasileiros de maior êxito no casamento entre o erudito e o popular. O Quinteto da Paraíba celebra hoje, em João Pessoa, os 25 anos de trajetória com uma apresentação gratuita no Espaço Cultural José Lins do Rego (em Tambauzinho). O concerto começa às 20h na Sala de Concertos José Siqueira e terá a participação especial de Helinho Medeiros no acordeon.

    Desde a fundação, em 1989, sob o nome ‘Quinteto Ravel’, a união entre as tradições da música de câmara e regional transformou o quinteto em uma família ou, como prefere Xisto Medeiros, evitando o lugar-comum, em uma Academia Musical. “Nós passamos por vários ciclos que, internamente, eu batizei como Academia Quinteto da Paraíba”, afirma o contrabaixista. “A triangulação que Yerko, Ronedilk e eu criamos, nestes mais de 20 anos tocando juntos, permitiu que vários jovens talentos da música passassem pela nossa formação.”

    Originalmente composto por Yerko Tabilo (único ainda remanescente do núcleo duro, no violino), Nelson Rios (também no violino), Samuel Espinoza (na viola), Nelson Vilela (no violoncelo) e Adail Fernandes (no contrabaixo), o Quinteto da Paraíba tem, hoje, além de Ronedilk (que assumiu a viola em 1993) e Xisto (no contrabaixo desde 1994, ano do primeiro disco do grupo, Armorial & Piazzola), os caçulas Caio Freire (no 2º violino) e Nilson Galvão Jr. (no violoncelo).

    No repertório de hoje, que faz um apanhado dos cinco discos lançados, o acordeon de Helinho Medeiros entra como representante de uma sonoridade que sempre pairou pela história do Quinteto da Paraíba.  “A sanfona sempre foi um instrumento que esteve perto do quinteto, já que gravamos e tocamos várias vezes com mestres como Sivuca (1930-2006), Toninho Ferragutti e Richard Galliano”, recorda Xisto.

    Nomes que se agregam a uma longa lista de parceiros colecionada em várias turnês nacionais e internacionais, por países da América e da Europa. Entre as colaborações destacadas por Xisto, estão artistas como Chico César, Nelson Ayres, Elomar e Lenine. Além dos discos de carreira, o Quinteto da Paraíba colaborou em trilhas sonoras de espetáculos teatrais (como o de Triz, do grupo de dança Corpo), longas-metragens (a música ‘Toada e Desafio’ embalou o sucesso de Central do Brasil no mundo) e novelas (eles estavam na abertura de Caminho das Índias, da Rede Globo).

    Colaboração Jornal da Paraíba

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]