MPPB discute entrada de estacionamento irregular em shopping de João Pessoa

    0

    A 2ª Promotoria do Meio Ambiente e Patrimônio Social de João Pessoa realizou, na manhã desta terça-feira (10), um audiência com representantes do Manaíra Shopping e da Prefeitura da Capital para tratar da construção de uma nova entrada de veículos em frente a uma faixa de pedestres no cruzamento da Avenida Flávio Ribeiro Coutinho com a rua Manoel Arruda Cavalcante. O caso é apurado por meio de um procedimento preparatório instaurado pela Promotoria.

    Participaram da audiência o promotor de Justiça João Geraldo Barbosa, o proprietário do Manaíra Shopping, Roberto Santiago, o procurador do Município de João Pessoa,  Antônio Fernando de Amorim Cadete, e o advogado Pedro Pires.

    De acordo o proprietário do Manaíra Shopping, a nova entrada para o estacionamento subsolo ainda não se encontra em funcionamento. Ele relatou que o projeto aprovado pela Prefeitura de João Pessoa, na época em que o superintendente de Mobilidade Urbana era Nilton Pereira, não contemplava a situação atual haja vista que a intervenção no trânsito prevista nesse projeto não foi efetivada até o momento.

    Roberto Santiago relatou ainda que o atual superintendente da Semob, Roberto Pinto, afirmou que o projeto anteriormente aprovado não iria ser executado. Por causa disso, o shopping requisitou da Prefeitura, durante 15 dias, uma vistoria e solução para o caso. Ainda de acordo com Roberto Santiago, o atual superintendente da Semob pessoalmente compareceu ao local das obras e verbalmente informou que o shopping poderia proceder as obras na forma em que ela se encontra concluída.

    O proprietário do estabelecimento reiterou na audiência que a entrada de veículos da forma que se encontra atualmente não dispõe de qualquer autorização formal da prefeitura, possuindo tão somente a autorização verbal de Roberto Pinto. Ele se dispôs a tomar as medidas necessárias para resolver a situação de forma a melhor atender o interesse público, reiterando que, apesar de a obra está pronta desde setembro do ano passado, ainda não começou a funcionar por precaução.

    Durante a audiência, Roberto Santiago informou também que foi feita uma proposta formal à prefeitura para solução do problema a qual se encontra, há mais de três meses, em análise pela Semob. A proposta consiste em recuar a sinalização atual no que se refere ao tráfego de veículos e pedestres bem como a faixa de pedestres do cruzamento. Para tanto, há a necessidade de recuar também o canteiro central da Avenida Flávio Ribeiro Coutinho.

    O procurador do Município de João Pessoa, Antônio Fernando de Amorim Cadete, esclareceu que notificou a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Capital para participar da audiência realizada nesta terça, mas nenhum representante da Secretaria compareceu. O procurador se comprometeu a manter contato com as demais Secretarias Municipais.

    O promotor de Justiça João Geraldo Barbosa determinou prazo de 24 horas para que o Manaíra Shopping encaminhe à Promotoria a cópia do projeto aprovado na época em que a Semob era coordenada por Nilton Pereira e também cópia do projeto proposto pelo estabelecimento para intervenções na área que possibilitem ao shopping a liberação da nova entrada de veículos.

    O promotor acrescentou ainda que o proprietário do shopping informou que a construção do novo acesso não sofreu nenhuma medida administrativa ou judicial por parte da prefeitura porque a obra foi iniciada e concluída com autorização de um alvará fornecido pela prefeitura. Uma cópia do alvará também será encaminhada à Promotoria.

     

    Mobilidade  – João Geraldo Barbosa ressaltou que essa situação ocorrida no Manaíra Shopping confirma os problemas de mobilidade vivenciados na Capital e que a Promotoria está agindo para evitar mais problemas. “Por isso mesmo, foi requisitado da Prefeitura que apresente, no prazo de 10 dias, o Plano de Mobilidade Urbana do Município, conforme determinado pela Lei Federal nº 12.587/2012”, destacou.

    Ainda sobre a questão da mobilidade, a Promotoria instaurou um inquérito civil público com o objetivo específico de apurar o comprometimento da mobilidade urbana em frente ao Centro Universitário de João Pessoa (Unipê). Segundo o promotor João Geraldo, o trânsito nas imediações da universidade causa grandes congestionamentos no local. “O grande tráfego de pedestres e veículos e a ausência de fiscalização da Superintendência de Mobilidade Urbana no local expõe a vida dos transeuntes a riscos”, disse. A Promotoria vai notificar a Prefeitura de João Pessoa e a o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) para participarem de uma audiência que será realizada no próximo dia 12, às 8h, na sede da Promotoria.

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here