Profissionais da SMS alertam sobre os riscos do câncer no aparelho genital

    0

    Um dos fatores mais importante na prevenção do câncer de pênis é uma boa higiene genital. No Brasil, esse tipo de tumor representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste. Por ano, esse tipo de câncer mata em média 111 homens apenas na região Nordeste.

    Comumente confundido com o câncer próstata, o câncer de pênis tem um diagnóstico através de exames físicos e laboratoriais, como a ultrassonografia, biopsia e histopatológico.  O resultado desses exames é fundamental para o diagnóstico de um tumor maligno no pênis.

    O coordenador da área técnica da saúde do homem da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Késsio Brito, lembra que, assim como qualquer outro câncer, o de Pênis tem cura. “Quanto mais precocemente ele for descoberto, assim como outras doenças, melhor será a resposta ao tratamento e maior as chances de cura”, explicou.

    O coordenador destaca, ainda, que a timidez que os homens tem de ir ao médico principalmente ao urologista, dificulta o diagnóstico da doença.  “Por falta de informação ou constrangimento, muitos homens demoram a procurar atendimento médico quando notam alguma alteração no corpo. Não buscar assistência e orientação no início e não tratar a doença, pode ser um agravante para a saúde do usuário. É sempre bom lembrar que trata-se de uma doença que tem cura”, completou.

    A porta de entrada para o cuidado à saúde é a Atenção Básica. Lá o usuário é avaliado e encaminhado, quando necessário para os serviços da Atenção Especializada, onde o paciente pode contar com a avaliação de um médico urologista da rede municipal de saúde. Quando confirmado o câncer, é feito de forma regulada o encaminhamento ao Hospital Napoleão Laureano ou Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho (Hpmger) para acompanhamento e iniciar o tratamento específico.

    “Os homens precisam ficar em alerta e esquecer o preconceito. Uma simples conversa com a família ou uma ida ao médico pode ajudar a diagnosticar a doença, que em casos mais graves pode levar a amputação do membro”, completou o coordenador da área técnica da saúde do homem da SMS.

    Sintomas – O sintoma mais comum é o aparecimento de uma ferida avermelhada, que não cicatriza, ou de um pequeno nódulo, na glande, no prepúcio ou no corpo do pênis. Inicialmente, essas lesões podem não doer, o que retarda o diagnóstico.

    Manchas esbranquiçadas ou perda de pigmentação na glande, presença de esmegma com cheiro forte e de gânglios inguinais inchados na virilha, além de placas avermelhadas, bem delimitadas podem ser consideradas lesões pré-malignas que evoluirão para câncer de pênis, se não forem devidamente diagnosticadas e tratadas.

    Ainda, de acordo com Késsio Brito, a cirurgia de fimose – quem tem como objetivo facilitar a higiene do pênis, diminuir o risco de infecções do prepúcio e da glande, é outro fator de prevenção. “É bom ressaltar que, tanto o homem circuncidado como o não-circuncidado pode reduzir as chances de desenvolver esse tipo de câncer se tiverem bons hábitos de higiene”, destacou.

    Prevenção – Algumas medidas importantes são necessárias para prevenir o câncer de pênis, como:
    – fazer a limpeza diária com água e sabão, principalmente após as relações sexuais;
    – O autoexame do pênis e das áreas ao redor é importante para localizar lesões iniciais, ter um diagnóstico precoce e introduzir o tratamento;
    – Usar camisinha nas relações sexuais;
    – Procurar orientação e cuidados médicos sempre que notar qualquer alteração no órgão.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here