Prefeitura de JP promove ação contra doença falciforme

    0

    A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Saúde (SMS), realiza, entre os dias 17 e 21 de novembro, no Hospital Municipal Valentina, a partir das 10h, a III Semana de Mobilização Hospitalar da Doença Falciforme. As oficinas de qualificação serão destinadas aos servidores com informações sobre casos agudos da doença, importância do acolhimento ao usuário e abordagens informativas para conscientização da doença, diagnóstico e tratamento.

    Na Capital, de acordo com a Área Técnica de Saúde da População Negra, há cerca de 80 casos registrados da doença e mais de 100 casos envolvendo pessoas que possuem apenas o traço falciforme, uma forma assintomática da doença. Neste último, usuário possui traços da doença, mas ela não desenvolve. “A doença falciforme é uma doença genética e acontece quando os pais transferem essa característica para os filhos, podendo desenvolver apenas a herança genética ou a doença, com presença de sinais e sintomas”, explica Perla Figueiredo, coordenadora da Área Técnica de Saúde da População Negra.

    Segundo a coordenadora da ação, devido à grande miscigenação que ocorre no Brasil, a característica da doença pode atingir outros grupos.  A SMS oferece, por meio das unidades da saúde da família, atendimento aos usuários que precisam de assistência, informação e apoio. “Além de termos a qualificação profissional, nós fazemos a busca direta desses usuários, para que ele possa ser acompanhado em toda sua totalidade,” destaca Perla Figueredo.

    Diagnóstico – O diagnóstico da doença é feito a partir do teste do pezinho, que deve ser feito até o quinto dia de vida da criança e também pelo exame Eletroforese de Hemoglobina, que pode ser feito em qualquer idade, sendo considerado um dos principais exames capaz de detectar o distúrbio Falciforme.

    Sinais e sintomas – Infecções recorrentes, anemia crônica, icterícia, também conhecida como amarelidão, Problemas neurológicos, cardiovasculares, pulmonares e renais, fraqueza e crises de dor.

    Tratamento – O tratamento da doença é feito com a profilaxia de infecções com antibioticoterapia, especialmente em crianças até os cinco anos de idade; uso contínuo do ácido fólico, que contribui para prevenir crises de falcização e; além disso, é primordial o incentivo ao autocuidado com medidas de prevenção das complicações como: ingestão de liquido, palpação do baço a fim de observar se há aumento ou não, usar vestimentas de acordo com o clima, não realizar esforço físico brusco ou repentino. Para mais informações, o usuário pode ligar para área técnica de saúde da população negra da SMS pelo 3214-7955.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here