O prefeito de Bayeux, Berg Lima (Podemos) e vereadores viajaram para Mossoró, no Rio Grande do Norte, para conhecer melhor o funcionamento do presídio federal que fica no Estado.

A população não vê com simpatia os planos do prefeito sobre a construção do presidio. A polêmica sobre a instalação de um presídio federal no município vem sendo debatida desde a  uma visita do prefeito ao Ministério da Justiça, em Brasília, que na ocasião ofereceu a instalação de um presídio federal em Bayeux e pediu a cessão de um terreno do município recebendo sinalização do gestor. Desde então, vem se articulando apoio dos vereadores e audiências públicas para angariar apoio popular.

A  justificativa para a viagem, que aconteceu nesta terça-feira (30), é o de conhecer os benefícios econômicos da instalação do presídio federal na cidade potiguar onde está um dos maiores traficantes do Brasil, Fernandinho Beira-Mar.

O debate tem gerado uma grande revolta na população de Bayeux que é contra a instalação do presídio. Dentre tantos argumentos contrários estão a falta de terreno, um êxodo de criminosos que poderiam se instalar no município provocando um aumento da violência.

A inquietação popular sobre o tem em uma das suas justificativas o fato da Cidade não disponibilizar de área para a construção do presídio, já que Bayeux perdeu hospital, casas populares, universidades com a justificativa que não tem espaço.

Os bayeuxenses criaram um Fórum Popular Não para a construção do presídio, que vem mobilizando boa parte da população contra esse projeto.

Léo Micena, que foi candidato a prefeitura de Bayeux, nas últimas eleições, criticou a atitude do prefeito e de vereadores de ir ”passear em Mossoró”, pois a cidade está um “caos” por causa da chuva, com vários desabrigados e

“Sinceramente, ao invés dos políticos estarem preocupados com os desabrigados das chuvas, em gerar emprego e renda, melhorar a saúde e a educação, largam a cidade nesse caos e vão passear em Mossoró para conhecer presídio federal. Será que eles querem dar abrigo a criminosos como Fernandinho Beira-Mar se esse presídio for construído?”, questionou Léo Micena, mobilizador da campanha contra o presídio.

Léo cobrou da Câmara de Vereadores que coloque em pauta o requerimento apresentado por ele que sugere lei proibindo a prefeitura de autorizar construção de presídio em Bayeux. Proposta semelhante já foi aprovada na cidade de Parnamirim, no RN.

“A preocupação da população é que com esse presídio aconteça um êxodo, um processo de imigração de criminosos para a cidade e passem a instalar empresas de fachada, comércios para lavar dinheiro, drogas e influenciem até no comando da política local, colocando de vez o domínio da cidade nas mãos do crime organizado. Esses políticos serão os responsáveis diretos do que pode acontecer com o futuro da população bayeuxense com esse presídio. Mas acredito que no final o povo vencerá essa luta. Vamos até o fim, inclusive acionando até a Justiça para proibir isso”, declarou Léo Micena.

Comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here