Base de Cartaxo derruba prestação de contas sobre custos do lixo na Lagoa

    1

    Os ânimos esquentaram na Câmara de João Pessoa. Isso porque foram reprovados os dois requerimentos que o vereador da bancada de oposição, Renato Martins (PSB) apresentou na manhã desta quinta-feira (8), em que pediam esclarecimentos sobre como foram gastos os recursos destinados ao desassoreamento do Parque Solon de Lucena (Lagoa).

    De acordo com ele, aproximadamente R$ 8 mi foram gastos entre dezembro de 2014 a março de 2015 com essa intervenção nas obras da Lagoa, sendo quase R$ 5 mi destinados para transporte das 200 mil toneladas de sedimentos e lixo. “É preciso que a gente saiba quantos caminhões foram usados e em que momento, para que a população se lembre se viram ou não. É preciso saber para onde foram, para que a gente possa medir a distância, já que o custo é de R$ 0,62 por km e nós estamos falando de milhões gastos no transporte desse lixo”, questionou.

    A justificativa pela derrubada dos requerimentos dadas pela base do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) é de que possuíam informações equivocadas e redundantes. “A Semam não tem obrigação nenhuma de explicar qual a destinação do lixo. Quem tem que falar é a Emlur”, justificou o vereador Sérgio da Sac.

    Já o vereador e líder da situação Marco Antônio (PPS), recomendou para que a bancada rejeitasse a proposta, pois os requerimentos se respondiam. “Um requerimento pede os valores gastos, o outro já diz quanto se gastou e até para o onde foi. Então o vereador já sabe de tudo, já sabe quanto custou e agora fica querendo usar os vereadores não sei para que”, disse.

    Após essa declaração, Renato rebate. “O vereador não sabe é de nada. Primeiro, não houve o pagamento para o aterro e segundo: o órgão que faz o controle da destinação de resíduos é a Semam. É fundamental que a gente compreenda que quem fez esse transporte foi a empresa, não foi a Emlur. Então, quem tem que dizer para a sociedade para onde foi esse resíduo é a Prefeitura. Esse lixo não foi pro aterro, porque se fosse, só lá teria-se o custo de R$ 6,2 milhões”, afirmou.

    Novato na bancada de oposição, o vereador Zezinho do Botafogo (PSB) alfineta Marco Antônio. “Tudo que se pediu é para que se explicasse informações sobre o transporte desse lixo. Nós estamos vivenciando um momento em que todo mundo sabe o que está acontecendo no Brasil. Nós só pedimos explicações e o detalhamento de como foram transportados essas milhares de toneladas,pra quem foi destinado o dinheiro e de que forma. Infelizmente, a gente vê aqui as pessoas pedirem para que isso não seja votado”, declarou.

    “Marco Antônio, esse seu discurso de transparência, que é também o do prefeito, não se sustenta em um requerimento, que o senhor orienta para que seja reprovado. Então o senhor está mostrando como você se comporta. Uma coisa é o discurso, outra coisa é a prática”, criticou o líder da oposição Raoni Mendes.

     

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here