Pastor evangélico é acusado de estuprar cinco meninas na Paraíba

    0

    A Polícia Civil está investigando uma denúncia de estupro de cinco meninas, menores de idade, por um homem de 36 anos na cidade de Boqueirão, no Agreste. Três delas são filhas do homem que se apresenta como pastor evangélico. A denúncia foi feita ao Conselho Tutelar no final de agosto após a mãe de uma outra garota ter ouvido que a filha tinha sido tocada pelo homem quando saiu de casa pra ir a um culto.

    “Ela falou que estava sentada e ele começou mexendo nas pernas dela, alisando, até chegar nas partes íntimas, então apertou”, disse a mãe da criança em entrevista à TV Paraíba.

    A situação é confirmada pelo depoimento de uma das filhas do suspeito, uma adolescente de 16 anos, que disse ter sido abusada por ele desde que ela tinha cinco anos de idade. Ela disse ainda que o pai também abusava de duas outra irmãs dela, de 11 e 12 anos.

    Segundo a adolescente, ela contou dos abusos para a mãe, mas logo em seguida foi obrigada pelo pai a se mudar para o Rio de Janeiro para morar com a avó. “Ele me mandou para o Rio porque eu tinha decidido contar tudo para a polícia. Só que ele me ameaçou logo depois que eu tinha contado para minha mãe. Disse que se alguém mais soubesse ele ia me matar e matar minha mãe”, contou.

    Segundo o conselheiro tutelar, Valdeildo da Costa, o suspeito morava no andar superior ao local onde funcionava a igreja em que ele era pastor. “O caso já está sendo acompanhado pela justiça e o suposto agressor está em prisão preventiva”, disse.

    O delegado responsável pelo caso, Cícero Pereira, não deu maiores detalhes, mas confirmou que todas as meninas foram submetidas a exames de corpo de delito e que o suspeito está preso, não pelos supostos estupros, mas por posse ilegal de arma, uma vez que a polícia encontrou duas espingardas na casa dele.

    Da Redação com JP

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]