Sinfônicas começam a divulgar datas de apresentação para este ano

    0

    Os ouvidos ávidos por ouvirem as sinfonias executadas pelas excelentes orquestras que a Paraíba nos proporciona podem ficar tranquilos. Com a chegada de março, as sinfônicas começam a revelar suas programações para o ano, com concertos regulares e gratuitos, acessíveis para toda a população. O mais próximo deles é o da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB), que faz seu retorno amanhã, a partir das 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural. Ao todo, serão 19 concertos oficiais até dezembro.

    Por se tratar de um retorno, não é surpresa que o repertório seja festivo. De acordo com o maestro titular da OSPB, Luiz Carlos Durier, o tom é alegre, com peças que farão os espectadores abrirem um largo sorriso. “É um concerto de alto astral. Queremos mostrar nossa felicidade ao inaugurar a temporada 2015 após nosso retorno para o Espaço Cultural. A reforma nos proporcionou um excelente ambiente para concertos”, afirma.

    Serão apresentadas peças nacionais e clássicos da música erudita mundial. “Escolhi a protofonia de O Guarani para abrir o concerto por se tratar de um símbolo nacional”, aponta Durier, em referência ao famoso prelúdio da ópera O Guarani, de Carlos Gomes, conhecido por milhões de brasileiros por ser utilizada como abertura do programa radiofônico A Voz do Brasil. “É uma peça de extrema importância por ter sido uma pedra fundamental do sinfonismo brasileiro”, completa o maestro.

    Além disso, os músicos também executam ‘Marcha Eslava, Op. 31’, do russo Piotr Ilitch Tchaikovsky e um clássico da música erudita, a ‘Sinfonia n. 7 em Lá Maior, Op. 92”, de Beethoven, apelidada por Wagner – outro famoso compositor – como “A Apoteose da Dança”. Embora faça reverência ao repertório clássico, Durier enfatiza a importância de peças nacionais no repertório de sinfônicas como a OSPB. “Infelizmente, muitas de nossas composições nacionais são desconhecidas pelo grande público, em parte pela falta de divulgação na mídia. Queremos mostrar o que o Brasil tem de bom no contexto da música sinfônica”, completa.

    Durier adianta que continuará trazendo obras inéditas no país para o palco da Sala Maestro José Siqueira. Para ele, é uma forma de ampliar o repertório do público e de valorizar os compositores de talento. A música brasileira vai ganhar mais destaque. Em todos os concertos serão executadas obras nacionais, sejam músicas clássicas ou populares. Composições de artistas paraibanos também serão executadas, a exemplo de peças de José Siqueira e de José Alberto Kaplan.

    A partir do segundo concerto, que deve acontecer a partir do próximo dia 19, haverá um convidado, seja de outros estados brasileiros ou menos de outras partes do mundo. No total, serão 18 convidados, dentre eles nove músicos e nove regentes, inclusive duas maestrinas, as paulistas Lígia Amado e Claudia Feres. Outras estrelas recepcionadas pela OSPB são o pianista Aleyson Scopel e os regentes Oswaldo Ferreira e Roberto Tibiriçá.

     

    Educação sonora

    Uma das novidades deste ano diz respeito ao retorno de algo que sempre foi bastante requisitado: os concertos didáticos, voltados principalmente para estudantes, crianças e adolescentes do ensino público e privado. O principal objetivo é tornar a música sinfônica mais naturalizada entre os jovens e funcionar como uma ferramenta da formação de público qualificado.

    Os alunos assistem aos ensaios gerais dos concertos oficiais, que acontecem sempre às quintas-feiras, a partir das 9h, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira. Para tanto, as escolas interessadas precisam entrar em contato com a administração da OSPB para agendar a presença, pois o espaço para a plateia é limitado a 300 lugares.

    Com essa volta, Luiz Carlos Durier afirma que se sente satisfeito ao trazer um dos principais compromissos da orquestra novamente à prática. “É com muita honra que iremos inaugurar a temporada 2015 fazendo com que a orquestra cumpra de fato sua função social. Queremos divulgar a beleza da música para toda a população, sem restrições. Nosso objetivo é que os jovens tenham uma visão maior de mundo e tomem conhecimento da música de concerto, coisa que poucas delas teriam oportunidade sem essas iniciativas”, pontua.

    Antes de cada ensaio geral, o maestro conversa com a plateia e faz uma breve explanação a respeito das peças que serão apresentadas no concerto da noite, a história por trás de cada composição e ministra uma pequena aula de como funciona uma orquestra, separando-a por naipes. “Os músicos são trabalhadores, como quaisquer outros, então é importante mostrar para as crianças que uma sinfonia é fruto não só de beleza, mas também de suor, lágrimas e emoções”, argumenta Durier.

     

    Interiorização

    Mas não é apenas a capital que será agraciada com concertos sinfônicos. O plano é que a Orquestra Sinfônica da Paraíba multiplique o número de apresentações, em comparação à última temporada, com performances regulares em diversos municípios do interior da Paraíba. “Estamos cumprindo com nossa promessa de interiorizar as ações, fazendo com que outros públicos tenham acesso à produção sinfônica paraibana”, explica o maestro titular da OSPB.

    A OSPB deve atender a cerca de dez cidades polos, que possam receber a orquestra com a infraestrutura necessária para abrigar o grupo e que tenham posicionamento geográfico estratégico de maneira que a população de outras cidades também possa se deslocar para assistir ao espetáculo. O primeiro município a receber um concerto será Sapé, no dia 17 de abril, como parte da programação da Semana Augusto dos Anjos. A apresentação será regida pelo maestro convidado Leonardo David.

     

    UFPB e Municipal também se preparam

    A Orquestra Sinfônica da UFPB (OSUFPB) faz seu retorno oficial em 2015 com o concerto de encerramento do período na próxima sexta-feira, às 20h, na Sala de Concertos Radegundis Feitosa, localizada no Campus I da instituição. A apresentação é da OSUFPB Cordas, privilegiando composições feitas especialmente para este naipe da orquestra. Com eleição recente de uma nova coordenação, a OSUFPB passa por um período de transição, que deve durar até o próximo mês, com o início do próximo semestre letivo.

    Coordenando o Laboratório de Música Aplicada (Lamusi), responsável pela sinfônica, a professora Luceni Caetano explica que a programação de 2015 já está praticamente pronta, com alguns ajustes finais para ser divulgada. “Vamos nos reunir na próxima semana para definir as datas e outros detalhes, além de apresentarmos a nova coordenação do Lamusi”, comenta.

    Enquanto não sai a confirmação, o público pessoense pode contar com as apresentações da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa (OSMJP), que retorna dia 14, com uma série de 10 concertos especiais. A nova casa da orquestra é o Centro Cultural Ariano Suassuna, do Tribunal de Contas do Estado, localizado no bairro Jaguaribe, e os concertos acontecem sempre às 19h.

    De acordo com o maestro titular Laércio Diniz, o repertório escolhido para o retorno faz uma homenagem ao escritor que dá nome ao centro cultural. “Fizemos uma seleção de Música Armorial, que apresentaremos durante as dez semanas subsequentes. Também escolho a famosa quinta sinfonia de Beethoven para completar o repertório”. Além disso, Laércio adianta que mais novidades virão durante as próximas semanas. “Estamos aguardando a confirmação de verba e o acerto de alguns detalhes para divulgarmos outras datas e locais”, adianta.

    Com informação de André Luiz Maia – Jornal Correio da Paraíba

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here