Nação Zumbi, Tono, Chico Correia & Eletronic Band são atrações do ‘No Ar Indie Sessions’ na Capital

    0

    Depois de praticamente um ano, o Nação Zumbi retorna a João Pessoa para uma performance durante o No Ar Indie Sessions, festival de música promovido pelo blog Atividade FM com patrocínio do CNA Ruy Carneiro, que acontece hoje no Centro Cultural Piollin. A banda pernambucana, uma das precursoras do movimento manguebeat, apresenta o repertório do novo disco, Nação Zumbi, lançado no ano passado, e sucessos da carreira, como o repertório do Da Lama ao Caos, da época em que Chico Science era vocalista do grupo.

    Além de Nação Zumbi, que toca por volta da meia-noite, o evento conta com outras quatro atrações: Tono (RJ), ChicoCorrea & ElectronicBand (PB), A Troça Harmônica (PB) e Lucas Dourado (PB) (confira quadro), que se distribuem em dois palcos, o Piollin, montado na área externa do centro cultural, e o Teatro, na parte inferior do espaço. Além dos shows, espaço para feira de gastronomia, moda e discos. Os ingressos custam R$ 90 (inteira), R$ 45 (meia) e R$60 (ingresso social, mediante doação de 1kg de alimento).

    Nação Zumbi, o disco de 2014, surge após um hiato de sete anos, pois desde Fome de Tudo (2007) o grupo formado por Jorge Du Peixe (vocal e sampler), Lúcio Maia (guitarra e backing vocals) Dengue (baixo e backing vocals), Pupillo (bateria e percussão), Gilmar Bola 8 (alfaia e voz), Toca Ogan (percussão e voz), Gustavo Da Lua (alfaia e percussão adicional) e Tom Rocha (alfaia e percussão adicional) não lançava material inédito. A escolha por parar foi opcional.

    “A gente precisava dar um tempo. A banda começou em 1991 e até 2007, foram 16 anos ininterruptos, sem férias. Estávamos esgotados, artisticamente falando, e a criatividade estava em um ritmo lento”, conta o guitarrista Lúcio Maia. Com o convite de Marisa Monte para que os integrantes do grupo participassem da turnê Verdade Uma Ilusão, eles encontraram o momento propício para desacelerar.

    Em 2011, já havia uma ideia de um novo disco, mas nos dois anos seguintes, por conta da turnê de Marisa, o projeto foi postergado para 2014. Nas onze faixas do novo trabalho, é possível perceber diferenças dignas de notas no som. Lúcio explica. “A gente trabalhou um pouco mais as melodias, a voz, as harmonias, é um disco mais bem resolvido que os outros nessa questão”.

    A mudança foi intencional. “Não gostamos de repetir fórmulas, nos apegar ao que já fizemos, evitar fazer uma caricatura de si mesmo. Procuramos dar uma estendida no que diz respeito à criação musical, abordando coisas diferentes. Apesar de ter um detalhe ou outro, que traz uma ciranda aqui, uma menção ao maracatu ali, fizemos esse novo CD com mais desprendimento”, declara o guitarrista.

    Embora o show do ano passado, no Campus Festival, já tenha incluído o repertório do novo disco, essa apresentação que acontece hoje têm algumas mudanças. “Essa nova configuração veio após uma apresentação em Nova York. É uma turnê do disco, mas também da vida, por assim dizer, tocamos músicas de todas as épocas e períodos da Nação Zumbi”, garante Lúcio Maia.

    TAMBÉM SE APRESENTAM:

    Tono

    O grupo carioca é composto por músicos que despontam na cena da MPB, tocando com artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ney Matogrosso, dentre outros. A banda já tem três discos lançados (Tono Auge, de 2009, Tono, de 2010, e Aquário, de 2013) e foi formada em 2008, composta pelos músicos Rafael Rocha (bateria), Ana Lomelino, (voz), Bem Gil (guitarra), Bruno di Lullo (baixo) e Leandro Floresta (teclados e sintetizadores). Tono se apresenta às 23h, no Palco Teatro.

    A Troça Harmônica

    Grupo paraibano formado pelos parentes Chico, Gustavo e Regina Limeira em parceria com o amigo e músico Lucas Dourado, A Troça Harmônica apresenta o repertório de seu primeiro disco homônimo, que traz uma sonoridade acústica, calcada na sonoridade da MPB nacional e tendo como referência movimentos musicais do estado, como Jaguaribe Carne, Assaltarte e o trabalho de Chico César. A Troça toca a partir das 21h40, no Palco Teatro.

     

    ChicoCorrea & ElectronicBand

    Regional e universal se encontram no show do grupo, que atualmente é composto por ChicoCorrea, Débora Malacar, Victor Rama, João Cassiano, Thiago Sombra e Carlos Dowling. Depois de dois anos com atividades suspensas, a banda retorna com perspectivas de lançar seu segundo disco, Baile Muderno, que está concorrendo a um edital no Natura Musical, com votações abertas que se encerram hoje. A votação pode ser conferida em http://goo.gl/wC6vkE. ChicoCorrea & ElectronicBand se apresenta no Palco Piollin, a partir das 22h20.

     

    Lucas Dourado

    Vindo diretamente da Bahia, Lucas chegou na Paraíba ainda nos anos 2000 para fazer curso superior. Antes mesmo de entrar na Troça Harmônica, já compunha. No entanto, seu primeiro disco solo, uma parceria com os músicos da banda Burro Morto, só viria em 2013, Motor Misterioso. Ele apresenta o repertório autoral do disco, que bebe de fontes como Novos Baianos, Geraldo Azevedo e Clube da Esquina. Lucas se apresenta no Palco Piollin, a partir das 21h.

    Por André Luiz Maia, do jornal Correio da Paraíba

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here