MP sugere adiamento do Paraibano e FPF convoca reunião de emergência

    0

    O Campeonato Paraibano pode não começar no próximo fim de semana. Pelo menos é o que deixou claro o procurador de justiça Valberto Lira, que nessa segunda-feira encaminhou uma recomendação à Federação Paraibana de Futebol (FPF), sugerindo o adiamento da competição até que todos os estádios tenham laudos liberando os jogos.

    A reação foi imediata. O presidente Amadeu Rodrigues convocou uma reunião de emergência para a tarde desta terça-feira para discutir a situação. Uma possibilidade levantada pelo próprio Ministério Público seria a realização de jogos sem a presença da torcida, ideia, a princípio, rechaçada pelo mandatário da FPF.

    – Seria horrível (jogar sem torcida). Por isso convoquei essa reunião com os clubes, para avaliar a situação. Eles é que vão decidir o que será feito daqui para frente, se querem adiar ou jogar sem torcida. A Federação vai acatar o que for decidido – avaliou Amadeu Rodrigues.

    Na recomendação do Ministério Público, a Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios sugere “o adiamento do início do Campeonato Paraibano para outra data, a fim de fazer eventuais correções que forem recomendadas pelos laudos a serem apresentados pelo Governo do Estado e Prefeituras Municipais, ou, que as partidas sejam realizadas sem a presença de torcedores”.

    Assim que tomou conhecimento da recomendação, a FPF divulgou uma nota oficial revelando que desde novembro solicita os laudos dos estádios, mas que quem tem o poder de providenciá-los são as autoridades competentes.

    Na nota oficial, assinada por Amadeu Rodrigues, a FPF explica que a entidade “não tem autonomia para confeccionar laudos ou realizar perícias e vistorias técnicas”. Lembra ainda que “o Estatuto do Torcedor é muito claro ao estabelecer no caput do Artigo 23 a responsabilidade da entidade de apresentar os laudos técnicos, contudo, em se tratando de estádios pertencentes ao patrimônio do poder público, como é o caso de quase a totalidade na Paraíba, fica impossível a FPF adentrá-los e fazê-los”.

    – O que a Federação pôde fazer, ela fez. Desde novembro encaminhamos ofícios lembrando da necessidade dos laudos. Temos todos os documentos que atestam isso. Mas, infelizmente, não temos o poder de determinar que seja feito. Nesse momento, a Federação é refém disso tudo – lamentou Amadeu Rodrigues.

    Entre os clubes, o clima é de apreensão. Jogar sem torcida implica em abrir mão de uma fonte de renda preciosa – para muitos, a única no Campeonato Paraibano. Por outro lado, como o calendário já está apertado, um adiamento significa empurrar as finais para depois do dia 8 de maio, data limite determinada pela CBF para o encerramento da competição. Na semana seguinte, por exemplo, o Botafogo-PB já estará em ação no Brasileiro da Série C.

    A expectativa é que a reunião de hoje possa determinar os rumos do Campeonato Paraibano, com uma possibilidade cada vez maior de a bola não rolar no próximo fim de semana. As informações são do Globo Esporte Paraíba.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here