Mais de 70% dos imóveis da PB foram visitados por agentes de combate ao Aedes

    0

    De acordo com o relatório de acompanhamento das visitas domiciliares, do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, na Paraíba, até o dia 27 de janeiro, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Exército Brasileiro, Corpo de Bombeiros e Prefeituras, visitou 73,69% dos imóveis em todo Estado, com o objetivo de combater o mosquito Aedes aegypti. O trabalho consiste na entrada de equipes formadas pelos militares e Agentes Comunitários de Endemias (ACE), de casa em casa, a procura de focos e criadouros do mosquito. Foram visitados 611.518 imóveis de um total de 829.761. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde é que 100% dos imóveis sejam visitados até o dia 31 de janeiro.

    “A nossa perspectiva de atingir os 100% permanece, mas, para isso, os municípios têm que continuar com o mesmo afinco, reconhecendo o tamanho dos problemas que o mosquito provoca que são as doenças dengue, chikungunya e zika”, disse o gerente operacional de Vigilância Ambiental da SES, Geraldo Moreira Menezes.

    Segundo Geraldo, esse número seria bem maior se todos os municípios fornecessem à SES os dados referentes às visitas domiciliares. Dos 223 municípios, 13 não estão repassando as informações: Araruna, Caiçara, Casserengue, Serra da Raiz, Arara, Areial, Barra de São Miguel, Lagoa Seca, Pedra Branca, Serra Grande, Bonito de Santa Fé, Pedras de Fogo e Riachão do Bacamarte.

    Os municípios que têm a presença do Exército nas atividades são João Pessoa, Campina Grande, Cabedelo, Santa Rita e Bayeux. Já o Corpo de Bombeiros está atuando no Conde, Alhandra, Malta, Monteiro. Nos outros municípios o trabalho vem sendo realizado pelos Agentes Comunitários de Endemias (ACE).

    De acordo com o cronograma da Secretaria de Estado da Saúde, o mesmo esquema será mantido no mês de fevereiro. As visitas acontecerão durante todo mês, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 11h e das 13h às 17h. “Mesmo as casas onde a visita já aconteceu, a equipe vai retornar, já que o ciclo de vida do mosquito é de sete dias, ou seja, o desenvolvimento da larva para o mosquito adulto é de uma semana. Mas esperamos que a população já tenha entendido, neste primeiro momento, que precisa fazer a sua parte na luta contra esse vetor e, dessa forma, exterminaremos esse mal”, lembrou Geraldo.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here