Mais moído: Auditor tenta barrar na Justiça escolha de novo conselheiro do TCE-PB

    0

    O conselheiro substituto do Tribunal de Contas do Estado Estado da Paraíba, Oscar Mamede Santiago Melo, ingressou com um Mandado de Segurança no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), questionando a forma como foi escolhida a lista tríplice e solicitando a suspensão do processo de escolha do novo conselheiro do PCE-PB, que deverá entrar na vaga deixada após a aposentadoria de Humberto Porto.

    “Na realidade, a lista tríplice foi formada pelo critério de merecimento, e o critério de merecimento requer alguns pré-requisitos. Todavia, o Tribunal de Contas apenas realizou uma eleição com votação secreta, que no meu entendimento, não conteve qualquer critério administrativo que possa estabelecer essa lista tríplice por merecimento. Então, ingressei com o Mandado de Segurança justamente questionando a forma como foi elaborada a lista, tendo em vista decisões no STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a questão, orientando que devem ser estabelecidos critérios objetivos para auferir o merecimento para compor a lista tríplice, o que não foi realizado pelo TCE”, explicou o auditor.

    Melo concorreu com outros três colegas, mas acabou ficando de fora da lista tríplice que foi entregue ao governador Ricardo Coutinho (PSB) no final do mês de abril deste ano. Desde então, o processo está engavetado e a demora, segundo o auditor, o estimulou a entrar com o Mandado de Segurança.

    “A votação foi secreta, sem nenhuma fundamentação, a CF estabelece uma votação quando necessário, com fundamentação, que não foi feita, foi uma votação sem qualquer objetivo, fundamento ou critério e, desde então, eu vinha questionando impetrar um Mandado de Segurança contra colegas do Tribunal, mas agora, com a demora do governador indicar, pois eu já entendia que tinha sido prejudicado, resolvi entrar com Mandato”, disse.

    Melo explicou que, diferente de outros tribunais de contas do país, atualmente, o Regimento Interno do TCE-PB não estabelece os critérios objetivos do que seriam classificados como merecimento.

    O Conselheiro substituto tem 56 anos de idade e destacou que chegou a pensar em aposentadoria, por já ter cumprido o tempo de contribuição, no entanto, amadureceu a ideia e resolveu se manifestar para competir em pé de igualdade com os demais colegas da Corte.

    A lista tríplice foi formada no dia 16 de abril, logo após o oficialização da aposentadoria do Conselheiro Humberto Porto. Os três conselheiros mais votados e que formam a lista tríplice são: Marcos Antônio da Costa, Antônio Gomes Vieira Filho e Antônio Claudio Silva Santos.

    Saiba mais

    Essa é a segunda vez, só esta semana, que o TCE é alvo de denúncias. Na última terça-feira (7), o advogado Fábio Brito, que defende o governador Ricardo Coutinho, contestou informações da Corte de Contas sobre a folha de pessoal do Estado referente ao ano de 2014, enviadas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

    Após o assunto vir à torna, o conselheiro Fernando Catão, corregedor do TCE, reconheceu o “equívoco”, ao afirmar que houve a inclusão do número de aposentados e pensionistas na documento enviada ao TRE-PB. O processo foi suspenso pelo desembargador José Aurélio da Cruz, relator da ação, que deu um prazo de 10 dias para o TCE reparar as informações.

    As informações são do PBAgora.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here