O líder da oposição Bruno Farias (PPS), em tom de ironia, criticou a postura da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), diante das cobranças de devolução do valor referente aos desvios e superfaturamentos da obra de revitalização da Lagoa.

De acordo com o parlamentar a Prefeitura desistiu de negar que existiu o superfaturamento e, agora, apenas vem tentando encontrar qual o real valor do desvio, já que o relatório da Controladoria Geral da União apontam o desvio de R$ 10 milhões e as investigações da Polícia Federal atestam um montante de R$ 6,4 milhões.

“Quando esse ofício bate as portas de água fria, Cartaxo manda um representante a Brasília para falar com o ministro das Cidades e dizer ‘ministro estão pedindo para devolver R$ 10 milhões, mas o inquérito da Policia Federal diz que eu só desviei R$6,4 milhões’. A Prefeitura se quer nega o desvio e o superfaturamento, ela diz ‘eu levei pra casa não foi R$ 10 milhões não, foi R$ 6,4 milhões. Que país é esse? Que desmantelo é esse?”, criticou.
Demostrando indignação, Bruno definiu como revoltante o fato do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), admitir que a obra que foi “a menina dos olhos da última campanha eleitoral, houve desvio de mais de R$ 6 milhões”, afirmou.

O parlamentar solicitou aos demais vereadores, que trabalhem com ética e não com honestidade seletiva. Ainda pediu que os parlamentares não fujam do seu dever de investigar o Poder Executivo.

“As pessoas chegam aqui na tribuna e falam de todos os nomes envolvidos em corrupção no Brasil, mas esquecem de falar de um crime que aconteceu bem debaixo do seu nariz, que ética é essa? Que honestidade seletiva é essa? É preciso que essa revolta esteja aqui, no nosso chão, na cidade em que vivemos. Eu faço um apelo para a consciência dos parlamentares, para que não fujam de seus deveres e possam investigar o Poder Executivo”, questionou.

Comente

Antares

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here