Janduhy descarta a presidência da ALPB e defende independência do Legislativo

    0

    O deputado estadual Janduhy Carneiro (PTN) descartou a possibilidade de disputar a presidência da Assembleia Legislativa da Paraíba e defendeu um nome de consenso para dirigir os destinos do Poder Legislativo na próxima legislatura de forma independente e democrática, como manda a Constituição Federal.

    Janduhy também defendeu a formação de uma Mesa Diretora eclética, que contemple todas as agremiações partidárias. “A Constituição reza que os poderes são harmônicos, porém independentes. O que nós defendemos é a permanência de um poder independente. O que queremos é que outros parlamentares usem o bom senso e elejam uma Mesa diretora independente, uma vez que o Poder Legislativo não poder ser uma filial, uma sucursal do Poder Executivo”, argumenta o parlamentar.

    Janduhy Carneiro também descartou a possibilidade de disputar a presidência da Casa Epitácio Pessoa e lembrou que o deputado Ricardo Marcelo, atual presidente da ALPB, é um bom nome para disputar a eleição, muito embora ele mesmo ainda não tenha anunciado se será ou não candidato. “Com todos os parlamentares que conversamos percebemos que há uma sintonia com relação à independência do Legislativo em relação aos outros poderes. Não vamos disputar a eleição e quanto aos nomes ainda é cedo para discutirmos essa questão. O próprio presidente Ricardo Marcelo, que pode ser candidato natural ao cargo ainda não se pronunciou”, lembrou o deputado.

    Janduhy Carneiro também disse acreditar que todos os 36 paramentares deverão agir de forma a não permitir que o Poder Legislativo fique à mercê do Poder Executivo, como reza a Constituição Federal.

    UEPB – O deputado Janduhy Carneiro também informou que o veto do Governo do Estado 255/2014, referente ao projeto de lei de conversão 009/2014 com emenda de sua autoria foi derrubado pela maioria dos membros da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa na manhã dessa terça-feira, 11. A matéria define o reajuste da remuneração dos servidores das carreiras do pessoal docente e técnico administrativo da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

    “A emenda de nossa autoria previa apenas que fosse mantida a autonomia da Universidade Estadual da Paraíba, cujo Conselho aprovou um reajuste de 6% e o governo reduziu para 5 por cento esse reajuste, ferindo a autonomia daquela instituição. Mas, com exceção do relator, todos os outros membros da CCJ decidiram pela rejeição do veto governamental”, finalizou Janduhy.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here