Inspeção constata que irregularidades no Trauminha não foram sanadas pela PMJP

2

Os vereadores da bancada de oposição Bruno Farias (PPS), Eduardo Fuba (PT) e Renato Martins (PSB), realizaram uma inspeção no Ortotrauma de João Pessoa (Trauminha) para averiguar a situação do hospital, após denúncias de pacientes e se houve alguma melhoria após o relatório do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB).

Apesar da superlotação estar mais reduzida que antes, os problemas estruturais, como fissuras em paredes, falta de medicamentos, insuficiência na alimentação aos pacientes, lixo próximo ao quarto dos pacientes, ainda persistem.

Eles foram recebidos pelo diretor administrativo do hospital, Carlos Lopes, que admitiu que o Trauminha passa por atraso nos procedimentos.

Inspeção constata que irregularidades no Trauminha não foram sanadas pela PMJP Inspeção constata que irregularidades no Trauminha não foram sanadas pela PMJP Inspeção constata que irregularidades no Trauminha não foram sanadas pela PMJP

Prorrogação de prazo

A Prefeitura de João Pessoa pediu dilatação do prazo para apresentar melhorias no Ortotrauma de Mangabeira (Trauminha), das irregularidades apontadas no relatório do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), constatadas durante fiscalização do dia 04 de abril deste ano. No documento, o CRM havia dado um prazo de 30 dias para que a PMJP se posicionasse, prazo que venceu no dia 04 de maio.

De acordo com o diretor de fiscalização do CRM, João Alberto Morais, o prefeito Luciano Cartaxo e o secretário de Saúde de João Pessoa Adalberto Fulgêncio se reuniu com a diretores da entidade para pedir um prazo de até a próxima semana para apresentar soluções ao caos do hospital.  Em entrevista ao Paraíba Já, João Alberto explicou que foi feita toda uma explanação do relatório.

“A reunião foi feita com o presidente do Conselho e com o secretário Adalberto Fulgêncio e o prefeito Luciano Cartaxo e eles se prontificaram em nos trazer alguma coisa conclusiva até a próxima terça-feira. O secretário disse que ia agilizar o que foi exposto no relatório, mas a priori não disseram nenhuma solução sobre a questão médica e de medicamentos”, declarou.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here