TJPB julga inconstitucional leis que permitiam contratações de servidores em Cabedelo

    0

    O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba decretou por unanimidade a inconstitucionalidade das Leis 1.323 (4 de Dezembro de 2006) e 1.453 (6 de julho de 2009) do Município de Cabedelo, que autorizavam a contratação direta de servidores temporários, sem descrever as hipóteses em que haveria interesse público excepcional, afrontando os incisos VIII e XIII do artigo 30, da Constituição do Estado da Paraíba.

    A Administração Pública de Cabedelo tem um prazo de 180 dias dado pelo Pleno, a contar da comunicação aos órgãos responsáveis, para que se adeque à exigência do concurso público, sem comprometer os serviços públicos prestados.

    A Ação Direta de Inconstitucionalidade foi movida pelo Ministério Público e teve relatoria do desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides. O magistrado explicou que as leis municipais não especificam as situações que configurariam uma emergência para justificar a contratação temporária.

    “Caberia ao legislador definir as hipóteses em que existiria interesse público excepcional, não sendo suficiente a mera alusão ao funcionamento do serviço de saúde que não demonstra qualquer excepcionalidade, mas sim serviço essencial a ser prestado pelo Poder Público”, afirmou o relator.

    Para o desembargador, expressões demasiado genéricas afrontam o parâmetro constitucional. Além disso, argumentou que o serviço de saúde impõe contratação em caráter permanente.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here