CPI da Petrobras: Hugo Mota apresenta nomes de indicados para sub-relatorias

    0

    Mesmo com protestos de deputados do PT, PSOL, PSB e PPS, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, Hugo Mota (PMDB-PB) anunciou os nomes dos indicados para as quatro sub-relatorias criadas por ele com o argumento de que contribuirão para o aprofundamento das investigações.

    O anúncio da criação de sub-relatorias gerou tumulto durante a reunião da CPI nesta quarta-feira (5) e gerou bate boca entre Mota e o deputado Edmilson Rodrigues (PSOL-PA). Os deputados criticaram a iniciativa porque a decisão não passou pelo plenário da comissão. Rubens Bueno (PPS-PR) e Júlio Delgado (PSB-MG) fizeram restrições dizendo que seus partidos não foram consultados.

    O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que a iniciativa atropelava o Regimento Interno da Câmara. “Todos os partidos deveriam ter sido consultados. Não podemos aceitar isso, não é regimental; não foi feito o acordo [com todos os partidos] e não conheço a posição do relator” ponderou.

    Mota indicou os deputados Altineu Côrtes (PR-RJ) para a sub-relatoria de superfaturamento e gestão temerária na construção de refinarias; Bruno Covas (PSDB-SP) para a sub-relatoria de constituição de empresas com a finalidade de praticar atos ilícitos; Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) para a sub-relatoria de superfaturamento e gestão temerária na construção e afretamento de navios de transporte, navios-plataforma e navios-sonda; e André Moura (PSC-SE) para a sub-relatoria de irregularidades na operação da companhia Sete Brasil e na venda de ativos da Petrobras na África.

    O relator da CPI, Luiz Sérgio (PT-RJ), disse que estava surpreso com a iniciativa do presidente, sobretudo por não ter sido consultado e a medida ter sido anunciada antes de ele apresentar o plano de trabalho para a comissão.

    Mota garantiu que não voltaria atrás na criação das sub-relatorias, nem na indicação dos sub-relatores, escolhidos com base na proporcionalidade dos blocos partidários. Além das sub-relatorias, ele anunciou a contratação da empresa Kroll, sediada em Nova Iorque, para ajudar as investigações da quarta sub-relatoria.

    A decisão de contratar a empresa foi criticada por Rodrigues. “Eu gostaria que, neste caso, pudesse flexibilizar a sua posição. A empresa chegou a ser investigada pela Polícia Federal de nosso país”, lembrou.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here