Na próxima sexta-feira (30), haverá greve geral em todo Brasil. A paralisação foi definida na última sexta-feira (23), em reunião, pelas centrais sindicais.

Em João Pessoa, a concentração para a mobilização irá acontecer na Lagoa, a partir das 07h. Os líderes do movimento na Capital já contam com a adesão dos ônibus e dos comerciantes.

A greve será para reivindicar contra a reforma trabalhista e defender os direitos da aposentadoria e terá como tema “Vamos parar o Brasil contra a reforma trabalhista, em defesa dos direitos e da aposentadoria”.

Pelo Brasil

Convocada por centrais sindicais de todo o País, está prevista para a próxima sexta-feira (30) mais um dia de atos e paralisações contra reformas apresentadas pelo Governo Federal. Segundo os sindicalistas, principais responsáveis pela coordenação das manifestações — que contam também com o apoio de movimentos sociais —, os protestos estarão centralizados nas principais cidades do País, com destaque para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Desta vez, além de contar com a adesão de um número menor de categorias, a greve geral marcada para acontecer nesta sexta-feira deve ficar restrita a algumas capitais. De acordo com informações de algumas centrais, há atos e paralisação confirmadas em ao menos 14 Estados, além do Distrito Federal.

Segundo os representantes sindicais, a principal razão para a articulação menor é, até agora, a falta de consenso entre uma parte que defende uma pauta de reivindicações anti-governo e os que buscam se ater atos protestos contra os projetos de reforma trabalhista e da Previdência, repetindo o mote para a paralisação geral de 28 de abril, considerada bem-sucedida pela categoria.

Veja a seguir o que já está confirmado para acontecer na sexta-feira em alguns Estados do País:

São Paulo (SP)
Os metroviários aprovaram adesão à greve. Uma nova assembleia marcada para esta quinta-feira (29) irá definir como será a participação nesse dia de paralisação, mas a categoria já adiantou que deve cruzar os braços durante toda a operação comercial de sexta-feira.

Os bancários também aprovaram, em assembleia realizada nesta segunda-feira (26), parar as atividades nesta sexta-feira. A proposta foi aprovada por unanimidade. Servidores do Judiciário Federal de São Paulo também aprovaram adesão à Greve Geral.

Além disso, há uma manifestação prevista para ocorrer na avenida Paulista. O ato é organizado pelos movimentos sindicais e sociais que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Participam da atividade a CUT, CTB e Intersindical. A mobilização terá concentração a partir das 16h, no vão livre do Masp.

São José dos Campos (SP)
O Conselho de Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP), que reúne cipeiros, delegados sindicais, ativistas e trabalhadores da categoria, confirmou a disposição da categoria em parar as fábricas.

Litoral Paulista (SP)
Estivadores de Santos aprovaram, em assembleia nesta terça-feira (27), greve de 48 horas. A paralisação terá início às 7h de sexta-feira e vai até as 7h de domingo.

Rio de Janeiro (RJ)
Após plenária de preparação ocorrida na terça-feira (27), já aprovaram greve as seguintes categorias: petroleiros da Reduc Caxias vão parar em alguns setores; terceirizados da Petrobras do Fundão; trabalhadores das barcas Niterói; Fenasp – saúde federal; Sepe (estado e diversos municípios); técnicos e docentes das universidades Uerj, UFRJ, Uff, Rural, Unirio; servidores do  Sindscope, Sintesi, Sintesnit,seguridade social; ASFOC, Ibama, Arquivo Nacional, ASSIBGE, CEFET (Tecs e docentes); bancários Rio e Niterói; aeroviários.

Os trabalhadores da CSN devem atrasar a entrada na troca de turno e a Aeel (Associação dos Empregados da Eletrobrás) aprovou em assembleia um indicativo de paralisação. Além disso, ainda haverá assembleia de deliberação sobre a greve dos Correios, Cedae e metroviários.

Brasília (DF)

No Distrito Federal, a mobilização nacional das centrais sindicais conseguiu atrair a adesão diversas classes de trabalhadores. O Sindicato dos Bancários de Brasília vai parar, além do Sinpro-DF (Sindicato dos Professores do DF) e a Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino).

Belo Horizonte (MG)
A reunião das centrais sindicais decidiu pela intensificação dos atos e panfletagens nos terminais de ônibus, nas estações de trens e metrôs, fábricas, locais de trabalho, escolas e principais pontos de aglomeração dos municípios. Já foi definido a realização de um ato público unificado na sexta-feira, na capital mineira, na Praça Sete, às 11 horas. A concentração começa mais cedo, às 9h.

Salvador (BA)
Na Bahia, diversas categorias profissionais vão aderir ao movimento e paralisar as atividades durante todo o dia. Bancários, petroleiros, professores, metalúrgicos, comerciários e servidores da Saúde e da Justiça estadual já anunciaram que vão parar. Outros sindicatos devem se incorporar ao movimento até a sexta-feira.

Em Salvador, as centrais sindicais e os movimentos sociais vão realizar também duas atividades de rua: um ato em frente ao Shopping da Bahia a partir das 6h da manhã e uma caminhada pelas ruas do Centro, com saída do Campo Grande às 15h

Fortaleza (CE)
Os servidores do IFCE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará) aprovaram em assembleia adesão à greve geral. Os servidores aprovaram proposta de se reunirem às 8h, na sexta-feira, na portaria do aluno, para promover oficina de cartazes e para concentração rumo à manifestação marcada para às 9h, na Praça da Bandeira, no centro de Fortaleza.

Os trabalhadores de empresas de ônibus também aderem a esse dia de luta.

Maceió (AL)
Os trabalhadores da Chesf (Companhia Hidroelétrica do Vale do São Francisco) decidiram paralisar as atividades por 72 horas, a partir desta quarta (28).

Recife (PE)
Metroviários de Recife vão parar na sexta-feira. Em reunião das Centrais foi definida a realização de um ato unitário no dia 30, o “Arraial da Greve Geral”. A concentração será às 15h, no Teatro do Derby. Haverá panfletagens para divulgação da Greve Geral durante toda a semana e será realizada uma nova reunião para organizar e acertar os detalhes da paralisação por categorias.

Aracaju (SE)
Os trabalhadores rodoviários de Aracaju, motoristas e cobradores decidiram cruzar os braços e se unir ao dia de paralisação nacional

João Pessoa (PB)
Os bancários de João Pessoa e de todo o estado da Paraíba vão aderir à Greve Geral. O Sintraf-PB (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas do Ramo Financeiro no Estado da Paraíba) deliberou paralisação a partir da meia-noite do dia 30 de junho.

Natal (RN)
Servidores da saúde do estado do RN integrarão esse dia e também vão fazer paralisação e atos. Os fiscais do Rio Grande do Norte também vão participar da greve geral.

São Luis (MA)
Em São Luís, as centrais sindicais, movimentos sociais e estudantis se concentrarão a partir das 6h30 em frente ao porto do Itaqui. Várias categorias já definiram pela participação na greve (bancários, judiciário e MPU, correios, urbanitários, portuários e professores da UFMA). Em vários municípios do estado acontecerão paralisações e atos conjuntos.

Porto Alegre (RS)
O Sindimetrô/RS decidiu aderir à greve geral convocada para sexta-feira. Nos próximos dias, a categoria distribuirá materiais explicando os motivos da paralisação. Uma plenária ainda irá avaliar o movimento e preparar o dia de greve.

Santa Maria (RS)
Para sexta-feira estão previstas paralisações no comércio e dos ônibus da Região Central. Haverá ainda um ato na praça Saldanha Marinho com marcha pela cidade.

Curitiba (PR)
Sindicatos já confirmam a paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus da cidade.

Florianópolis (SC)
Os trabalhadores do transporte público de Florianópolis e região decidiram parar na sexta-feira das 8h às 11h. À tarde, às 15h, haverá um ato no centro que contará com a participação dos trabalhadores da categoria. As informações são do R7.

Comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here