Fundação Casa de José Américo será reinaugurada na próxima sexta-feira

    0

    A Fundação Casa de José Américo (FCJA) está totalmente renovada. Após promover a reforma, revitalização e modernização nas suas instalações internas e externas, o Governo do Estado reinaugura a sede da entidade nesta sexta-feira (19), às 19h. A reforma constou de recuperação do Museu Casa de José Américo e revitalização do Mausoléu, além do Auditório Juarez da Gama Batista, que teve sua capacidade ampliada e instalações modernizadas. Foram investidos R$ 1.029.529,92 na obra.

    Todo o piso da área externa e o sistema hidráulico foram substituídos, além da iluminação. A reforma favoreceu também a acessibilidade às pessoas com deficiências aos equipamentos culturais, através da construção de rampas em diversos setores e adaptação dos banheiros para adequar a FCJA ao segmento de público com necessidades especiais.

    Equipamentos culturais renovados

    Auditório Juarez da Gama Batista – Com capacidade para acolher cerca de 100 pessoas, o arquiteto Gilberto de Almeida Ferreira Guedes projetou um novo layout com adaptações para pessoas com necessidades especiais. Ficou resolvida a questão da acessibilidade, contemplando espaços para cadeirantes na plateia e acesso à tribuna, além de cadeiras espaçosas para pessoas obesas.

    Foram substituídos todo mobiliário, piso, instalações elétricas, sistema de sonorização, iluminação, ar condicionado e adaptações para instalação do Cine José Américo. Com isso, o auditório, com suas instalações mais confortáveis, poderá cumprir bem sua função de acolher muito mais eventos culturais. Ao seu lado, o amplo salão e o espaço de exposições.

    Mausoléu – O monumento que guarda os restos mortais de José Américo de Almeida e da sua esposa, dona Alice, é um dos cartões de visita e ponto que atrai a atenção dos visitantes e turistas. Foi revitalizado respeitando a configuração original do projeto de autoria do arquiteto indiano Bahram Khorramchachi. Instalado no pomar, segundo a ex-secretária particular, Maria de Lourdes Lemos, José Américo sempre manifestava o desejo de ser sepultado no local onde, segundo ele, teria vivido bons momentos de sua vida.

    Sobre o monumento, o presidente da FCJA, professor Damião Ramos Cavalcanti, destacou que “o Mausoléu é o lugar maior da Casa de José Américo, é o pantheon desse imortal paraibano”. O monumento retangular mede 11 metros de comprimento por 7 metros de largura, com 55 centímetros de profundidade. Tem como destaque uma base triangular, onde está erguido um obelisco, com escultura em bronze da face do escritor José Américo.

    Museu Casa de José Américo – Foi nesta casa onde José Américo viveu os últimos anos de sua vida e foi transformada em museu, preservando sua originalidade, guardando as mesmas características de quando ele nela residia. Abriga mobiliário original da época, obras de arte, objetos de uso pessoal, comendas, assim como a biblioteca e o arquivo fotográfico. Dentre os atrativos, uma estátua de corpo inteiro de José Américo, vestindo o fardão e empunhando a espada, símbolo da Academia Brasileira de Letras – ABL, além de fotos e discursos do também imortal na Academia Paraibana de Letras – APL.

    A Casa de José Américo recebeu ampla recuperação de paredes, piso, madeiramento e telhado, comprometido pela ação dos cupins, além da troca de calhas e telhas. Foram colocadas cadeiras no terraço, onde José Américo recebia amigos, intelectuais, jornalistas, populares e autoridades.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]