Exclusivo: Empresa responsável por retirada de ‘lixo’ na Lagoa possui apenas 6 caminhões; mínimo seriam 100

    0

    Após a visita dos vereadores Raoni Mendes (PTB), Renato Martins (PSB) e Zezinho do Botafogo (PSB) ao aterro sanitário metropolitano de João Pessoa nesta sexta-feira (16), para constatar a descarga de 200 mil toneladas de ‘lixo’ retiradas do Parque Solon de Lucena, conforme anunciado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), a reportagem do Paraíba Já tentou entrar em contato com os secretários de Infraestrutura, Cássio Andrade; de Planejamento e Transparência, Zennedy Bezerra; de Articulação Política, Adalberto Fulgêncio; e o de Comunicação Institucional da PMJP, Marcos Vinicius, para obter explicações sobre os dados confusos da obra, mas não obteve êxito.

    Diante de toda a resistência, nossa reportagem buscou informações no Sistema de Convênios (Siconv), pois a obra de infraestrutura e revitalização do Parque Solon de Lucena recebeu recursos através de convênio com o Ministério das Cidades. Lá, conseguimos ter acesso ao 8º Boletim de Medição, único apresentado até agora, que é um documento em que detalha o que está sendo executado e gasto na obra.

    De acordo com este documento, a Prefeitura de João Pessoa declara que foram gastos com a etapa de desassoreamento aproximadamente R$ 7,7 milhões. Destes, R$ 6,9 milhões, equivalente a 89,61% dos recursos para esta etapa, foram destinados para a remoção do ‘lixo’ e o transporte até o aterro sanitário, local em que o secretário Cássio Andrade afirmou que foram descarregadas as milhares de toneladas de resíduos.

    Exclusivo: Empresa responsável por retirada de 'lixo' na Lagoa possui apenas 6 caminhões; mínimo seriam 100 Exclusivo: Empresa responsável por retirada de 'lixo' na Lagoa possui apenas 6 caminhões; mínimo seriam 100

    A empresa responsável pela obra é a Compecc Engenharia e o valor contratual apresentado neste boletim de medição é de R$ 19,9 milhões, para desassoreamento, drenagem, construção de muro de contenção e galerias. Para se ter uma ideia, o maior custo apresentado nessa obra neste documento é com o desassoreamento, representando 38,69% dos recursos.

    Vídeo: Em tom irônico, líderes debatem como foram gastos R$ 8 mi na retirada de ‘lixo’ da Lagoa
    Com ânimos exaltados, vereadores reprovam pedido de informações sobre “lixo” na Lagoa
    Colunista do JP repercute matéria do Paraíba Já sobre quantidade de ‘lixo’ retirado da Lagoa
    Secretário diz que dado do ‘lixo’ na Lagoa foi “infeliz” e desmente propaganda da PMJP; ouça
    População duvida que obra da Lagoa será concluída em 2016; veja vídeo

    De acordo com o vereador Renato Martins (PSB), é impossível que se tenha retirado 200 mil toneladas de ‘lixo’, resíduos, de dentro da Lagoa e ter transportado até o aterro sanitário em apenas oito meses de obras, e, como a PMJP informa, o serviço foi feito à noite. Ele afirma que seriam necessários 100 caminhões para o transporte de 200 mil toneladas de lixo no regime de 24 horas por dia durante quatro meses.

    Entramos em contato com a empresa responsável pela obra e, de acordo com o gerente de locação de veículos, Márcio Leite, a empresa possui apenas seis caminhões do tipo basculante, que foi o usado e discriminado no boletim de medição da PMJP, em sua frota na cidade de João Pessoa.

    Ouça:

    A polêmica começou depois que a Prefeitura de João Pessoa espalhou placas no entorno do Parque Solon de Lucena anunciando que teria retirado 200 mil toneladas de ‘lixo’ da Lagoa. Em entrevista ao Paraíba Já, o secretário de Infraestrutura da Capital, Cássio Andrade, admitiu que a frase publicada nas placas “foi infeliz”.

     

     

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here