Alunos da UFPB mantêm greve de fome e se reúnem para decidir ocupação da reitoria

19

Estudantes se reuniram em assembleia para decidir se ocupam ou não a reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em apoio aos quatro estudantes que estão, desde a última terça-feira (23), acorrentados à entrada do referido prédio e fazendo greve de fome em protesto a precariedade dos programas de assistência estudantil na instituição.

Sobre as negociações com a reitoria para tentar resolver o impasse, os líderes do movimento relatam dificuldades. “A reitoria tem se mostrado surda, cega e muda para essa situação, fingindo que não está acontecendo nada, que eles não estão vendo nada e que nós não estamos lutando por nada”, afirmou Daniel Lima de Sousa, estudante de Serviço Social.

Daniel explica que o movimento tem três principais reivindicações. “A primeira pauta é a contemplação de todos os estudantes que estão fazendo parte do processo seletivo (de bolsas de auxílio moradia), desde eles estejam dentro dos critérios socioeconômicos (estipulados no edital); a nossa pauta número dois é com relação ao RU (Restaurante Universitário) para todos e a nossa pauta número três é em relação a residência universitária, uma transparência no processo de seleção para residência universitária”, destacou ele.

Ontem os estudantes realizaram uma caminhada pelo Campus I da UFPB e chegaram a interditar temporariamente a avenida que dá acesso aos Bancários em apoio aos estudantes acorrentados e em greve de fome.

Até o fechamento desta matéria, a greve já dura 35 horas e os estudantes presos à entrada da reitoria estão apenas à base de água mineral, água de coco e soro.

Alunos da UFPB mantêm greve de fome e se reúnem para decidir ocupação da reitoria Alunos da UFPB mantêm greve de fome e se reúnem para decidir ocupação da reitoria Alunos da UFPB mantêm greve de fome e se reúnem para decidir ocupação da reitoria

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

19 COMENTÁRIOS

  1. Não há líderes no movimento! Solicitamos a correção da matéria. Toda as decisões são feitas de forma horizontal em assembleias estudantis. O companheiro Daniel é um dentre tantos outros estudantes que estão se organizando.

  2. Entre os vários alunos que reivindicam assistência estudantil por não poderem se sustentar sozinhos,
    observa-se na última foto um deles usando um Apple Macbook Pro que custa a simples bagatela de R$ 10.499,00.

    Mais ironia ainda é o fato de tal protesto ser realizado por apoiadores da oposição à reitoria, cuja eleição será realizada
    em breve.

    Enfim…

    Cada um com sua conclusão…

    • Vc viu só o que quis ver, vc viu o notebook, mas não viu mais de 200 alunos (conheço pessoalmente uns 30, coisa que sua visão não é capaz de atingir)que vieram de outros estados contanto com auxílio e ficaram mais de 10 meses esperando, cotistas, estudantes que já comprovaram vulnerabilidade socioeconômica ao ingressar na universidade. Inclusive hoje eu comprovo vulnerabilidade, mas em MG já tive estabilidade e fui livre pra comprar o que era bom.
      Vc viu como politicagem, pessoas como eu que hoje necessitam realmente da assistência passamos batido na sua análise. E estes estudantes estão lá nos representando. Detalhe, se em algum momento passado o cara estava trabalhando poderia muito bem comprar o que ele quisesse, e se no momento atual ele está desempregado e comprova com documentos sua vulnerabilidade, É UM DIREITO não só dele, mas meu, seu, de qualquer um, a universidade pública é nossa!
      Eu diria q foi um erro induzido pela razão, vc captou somente o q era objetivo na tela do seu pc e se esqueceu q existe uma realidade aqui que vc não tem acesso.

      • Detalhe, a luta não é só pelo auxílio. Nem todos ali precisam do auxílio, e muitos que não precisam aderiram a causa pois convivem conosco e sabem DE PERTO (não pelo pc) o que passamos para entrar e permanecer na universidade. Alguns não estão querendo auxílio para sí mesmo, estão lutando por nós.

  3. Momento bem conveniente pra se fazer essa encenação. Período político, tudo é válido.
    Exigem respeito, mas chamam a reitora de vagabunda pelos corredores. Respeito é uma via de mão dupla. Vocês jamais vão ter credibilidade se continuarem a agir a mando da oposição e a baixar o nível do jeito que estão. Está na hora de apagarem os cigarrinhos (daquele tipo!!) e voltarem às salas de aula. Período já começou. E tenham mais respeito pelos outros.

  4. Só um detalhe, a repercussão desse movimento é ZERO dentro da universidade, pois todos sabem o que (ou quem!!) está por trás disso. Os líderes, é claro, estão sendo patrocinados. A mídia também. E a universidade, ainda bem, é formada por pessoas inteligentes. Essas táticas não funcionam tão bem com pessoas esclarecidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here