O programa Empreender Paraíba já beneficiou, desde a sua criação, mais de 24 mil paraibanos, em 197 municípios. Desde 2011, foram injetados, aproximadamente, R$ 130 milhões na economia do Estado. Somente este ano, mais de R$ 7 milhões já foram liberados para 1,1 mil pessoas, com a perspectiva de mais R$ 4 milhões serem disponibilizados até dezembro. Para 2018, estão sendo planejadas quatro edições da Feira de Negócios e Empreendedorismo da Paraíba (Fenemp), a criação de um e-commerce (comércio eletrônico), além de intensificação das ações de pós-credito e do projeto Acordo Legal.

O programa conta com 14 linhas de créditos, sendo Artesanato, Cultural, Juventudes, Motociclista Profissional, Mulher, Profissional Liberal, Cooperativas, Prefeituras e Inovação Tecnológica. O objetivo é priorizar a concessão de créditos para estimular a geração de emprego e renda na Paraíba, fortalecer a economia solidária, o microemprendedorismo individual, microempresário, empresário de pequeno porte, cooperativas de produção e Prefeituras paraibanas que pretendem viabilizar projetos para expandir o desenvolvimento econômico local.

Este ano, a maior liberação de créditos foi para as propostas no setor do comércio. Ao todo, foram 553 liberações. A segunda maior concentração foi para o setor de serviços, sendo 346 beneficiados. Para os projetos no setor industrial, foram concedidos 243 benefícios. Já na Agricultura e Pesca, foram 52 propostas.

De acordo com a secretária do Empreender Paraíba, Amanda Araújo Rodrigues, o programa é um mecanismo que transforma vidas e que possui reconhecimento internacional. “O Empreender é um programa de microcrédito orientado sério, que vem mudando a vida de muitos paraibanos, inclusive passou por etapas importantes do prêmio da ONU, no que diz respeito a iniciativas de desenvolvimento social e econômico”, afirmou.

Amanda ainda explicou que como qualquer iniciativa do poder público, todos os benefícios do Empreender Paraíba também presta contas regularmente ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB). “Anualmente, as contas do programa são submetidas ao TCE e até o momento, foram todas aprovadas”, relatou.

Para ela, a suspensão das linhas de créditos do Empreender prejudica não ao Governo do Estado, mas aos paraibanos que dependem do programa para melhorar sua qualidade de vida. “Esta decisão não prejudica o Governo, prejudica cerca de 600 paraibanos que estavam com empréstimos aprovados e em processo de aprovação e dependem diretamente desse crédito para se desenvolver economicamente e parar de depender do poder público”, alegou.

Projetos para o Futuro – Além das ações já desenvolvidas pelo programa, estão planejadas outras quatro edições da Feira de Negócios e Empreendedorismo da Paraíba (Fenemp) em outros municípios do estado, buscando atingir todas as regiões.

Também está em andamento a criação de um e-commerce (comércio eletrônico), que será gerenciado pelo programa Empreender para que os empreendedores da Paraíba tenham oportunidade de ir mais longe com seus produtos. A ferramenta funcionará como uma vitrine virtual, onde será possível ao público realizar compras e receber suas mercadorias em casa.

Continuaremos com as ações de pós-crédito por toda a Paraíba, identificando os casos de sucesso e premiando as experiências exitosas do programa, como também com a visita do “Acordo Legal”, projeto que renegocia dívidas dos inadimplentes do programa a mais municípios do Estado.

Comente

Camara Municipal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here