Em CG, Ricardo é ovacionado durante sabatina no Colégio Lourdinas

    0

    O governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato à reeleição pela coligação ‘A Força do Trabalho’, foi ovacionado pelos alunos do Colégio Lourdinas, em Campina Grande, durante sabatina realizada nesta quinta-feira (18). Ricardo respondeu 10 perguntas formuladas pelas estudantes sobre os mais diversos temas, como respeito ao servidor público e investimentos em saúde, educação e estradas.

    Quando perguntado sobre o fechamento de escolas, como propaga a oposição, Ricardo explicou que sua gestão reordenou a Rede Estadual de Educação, fechando 223 ‘escolas’ que serviam como cabides de emprego e que não tinham condições de ensino.

    “Quarenta e sete delas, por exemplo, funcionavam em apenas uma sala de aula, dentro de uma escola municipal; outras não tinham banheiro e 22 estavam há mais de dois anos sem atividades. Por que não repassar estes alunos para escolas municipais que tinham vagas disponíveis? Só para reter os recursos do Fundeb? Nós não fazemos isso, não queremos criar cargo comissionado para agradar um ou outro político”, destacou Ricardo.

    O candidato da ‘Força do Trabalho’ disse ainda que sua gestão criou 131 mil vagas, e que não há um aluno na Paraíba que procure uma escola pública estadual e não encontre vaga. “Estas vagas agora são de qualidade, com o ensino de robótica, por exemplo. Tivemos uma competição mundial de robótica no mês passado em João Pessoa, e estudantes de uma escola municipal da cidade, onde eu implantei um laboratório desses quando fui prefeito, teve a oportunidade de disputar contra chineses, alemães, americanos. Isso é importante, porque é a educação que faz com que as pessoas sejam iguais perante as oportunidades da vida”, disse o governador.

    Respondendo sobre denúncias de irregularidades na Casa Civil, Ricardo explicou que as compras do órgão não são apenas para a família do governador, mas para atender toda estrutura da Granja Santana, que é permanente. “Eu reduzi o número de servidores de 127 para 60 assim que assumi o cargo, porque sempre busquei reduzir gastos”, garantiu.

    Ricardo destacou que as denúncias contra ele foram feitas com base em um relatório preliminar e que, no acórdão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), nenhuma irregularidade foi encontrada na gestão dos recursos pela Casa Civil.

    O governador falou também sobre a acusação feita pela oposição de que há ‘perseguição política’ em seu governo. “Essa é mais uma inverdade criada por meus adversários, que estão desesperados com o crescimento da nossa campanha”, enfatizou Ricardo.

    “Nenhum governo na história da Paraíba tratou de forma mais republicana os municípios do que o meu. Fui criticado por aliados, perdi apoio político de muitos grupos por fazer isso, porque nossa cultura política acha que quem perde a eleição tem que ser massacrado. Perdi por 80% em Mamanguape em 2010, mas nem por isso me recusei a investir na cidade. Já construímos um hospital e 700 casas. Além de isso, estamos construindo uma adutora e uma Escola Técnica Estadual”, ressaltou.

    Sobre o relacionamento com os servidores públicos, o governador Ricardo Coutinho lembrou que sua gestão contratou mais de 11 mil concursados, um número recorde no Estado, e disse que não pôde manter os contratos temporários por respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal. “Não podia inchar o Estado e comprometer investimentos em saúde, educação, estradas. Não governo uma folha de pagamento, mas o Estado da Paraíba, e tenho que ser responsável por toda a população”, finalizou.

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: redacao@paraibaja.com.br