Crise não atravessa o samba e lota João Pessoa de turistas

0

A crise econômica não atravessou o samba e no, quesito dólar mais caro, até beneficiou a atividade turística na Paraíba. Com o dólar mais alto – fechou em R$ 3,95, ontem – , os brasileiros decidiram curtir o Carnaval no Brasil e, com isso, apesar dos pacotes terem ficado até 20% mais salgados do que no ano passado, as agências de viagens registraram uma alta de 15% nas vendas. E olha que os preços não estão nada baratos. Cinco dias no resort Mussulo by Mantra, na Costa do Conde, custam R$ 6,1 mil o casal com dois filhos menores.

O presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens, secção Paraíba, Bruno Mesquita, disse que a atividade turística está diretamente ligada com o dólar, e que a elevação ou baixa da moeda interfere diretamente no comportamento do consumidor.

“Com o Carnaval 2016 coincidindo com este quadro cambial, tudo favoreceu a economia nacional e, em especial, ao Nordeste, que está entre os destinos mais procurados, principalmente, por turistas de São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais”, disse Mesquita.

O empresário Luciano Lapa, da Agência Lapa Turismo e Consultoria, disse que a venda de pacotes de Carnaval tiveram um acréscimo de 15%. O destaque foi a venda de pacotes para Fernando de Noronha (PE), que custa R$ 1,8 mil por pessoa. “Esse pacote teve uma alta de 10% nas vendas em relação ao ano passado”, disse. Os roteiros mais procurados na Lapa foram a Praia da Pipa (RN) e Porto de Galinhas (PE), que apesar de estar próximo do Recife, é um local procurado para quem quer sossego.

O gerente comercial da Operadora Foco, Elson Pires, disse que alguns setores, como a hotelaria e companhias aéreas, também estão se aproveitando da alta do dólar para aumentar o valor das diárias e das passagens aéreas.

Segundo ele, os hotéis do Rio de Janeiro elevaram muito o valor das diárias e, somando com a alta das passagens, a cidade se tornou ainda mais cara, porém bem mais barata se a opção fosse uma viagem internacional.

Bruno Mesquita revelou ainda, que a maioria das locadoras de veículos está com uma demanda maior no período de carro, e admitiu que em algumas delas deverá faltar carros para os clientes. O crescimento nesse setor pode chegar a 20%, segundo o presidente da Abav-PB. “Muitos de nossos associados relatam a dificuldade de encontrar determinados modelos de carros”, afirmou.

Já a rede hoteleira deve atingir uma média de 80% na ocupação de quartos. Até a semana passada, segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira na Paraíba, Inácio Junior, a maioria já tinha mais de 75% dos quatros ocupados, alguns com até 100%, e ainda com muita procura. A rede hoteleira pessoense tem cerca de 10,1 mil leitos. As informações são do site Turismo em Foco.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here